Formação de gestores educacionais e escolares no contexto das tendências das reformas educacionais: consensos e dissensos

Autores

  • Ana Paula Oliveira Rescia Departamento de Educação. UNESP - Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”. Faculdade de Ciências e Tecnologia. Presidente Prudente – SP – Brasil. 19060-900
  • João Augusto Gentilini Programa de Pós-Graduação em Educação Escolar. UNESP - Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”. Faculdade de Ciências e Letras de Araraquara. Araraquara – SP – Brasil. 14800-901

DOI:

https://doi.org/10.21723/RIAEE.v11.esp.1.p307

Palavras-chave:

Reformas educacionais, Formação de gestores educacionais e escolares, Competências e habilidades,

Resumo

Este trabalho apresenta partes dos resultados de uma pesquisa de doutoramento sobre a formação dos gestores educacionais e escolares para o início do século XXI no contexto da descentralização e das tendências das reformas educacionais na América Latina ocorridas no final da década de 1980 e nos anos de 1990. Norteados por uma pesquisa qualitativa, de natureza bibliográfico-documental, os procedimentos metodológicos tiveram referência em estudos realizados por organismos internacionais como a UNESCO, a CEPAL e o ILPE, além de estudiosos dos diferentes paradigmas de gestão, considerando as necessidades dos sistemas de ensino latino-americanos. No caso do Brasil, buscou-se compreender as exigências de transformação de competências locais em planejamento e gestão da educação à luz de implicações e iniciativas de formação de gestores dentro desta nova realidade. Para tanto, analisou-se, com propósitos comparativos, três programas de formação de gestores educacionais e escolares em atuação na rede pública de ensino: Programa Circuito Gestão; Programa de Capacitação a Distância para Gestores Escolares (Progestão) e o Programa Escola de Gestores da Educação Básica Pública. Pretendeu-se identificar as tendências de cada programa em relação à formação dos gestores educacionais e escolares, tendo em vista as transformações ocorridas na sociedade e na educação e as exigências de aquisição de novas competências e habilidades. As conclusões da pesquisa indicaram que apesar de os programas de formação terem se originado em instâncias diferentes e explicitarem, em seus pressupostos, orientações diversas, convergem para o mesmo conjunto de competências na formação de gestores educacionais e escolares.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

04/05/2016

Como Citar

RESCIA, A. P. O.; GENTILINI, J. A. Formação de gestores educacionais e escolares no contexto das tendências das reformas educacionais: consensos e dissensos. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 11, n. esp.1, p. 307–318, 2016. DOI: 10.21723/RIAEE.v11.esp.1.p307. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/8554. Acesso em: 14 maio. 2021.