Escola, trabalho e perspectiva de futuro de jovens estudantes

Célia Regina Vendramini, Luciana Pedrosa Marcassa, Mauro Titton, Soraya Franzoni Conde

Resumo


O artigo aborda a relação dos jovens estudantes com o trabalho e suas perspectivas de futuro. Percebe-se que o trabalho é uma realidade entre os jovens pesquisados, envolvendo atividades remuneradas ou realizadas por meio de estágios, além de outras atividades sistemáticas e cotidianas, como o cuidado dos irmãos e o trabalho doméstico. O trabalho ocupa parte significativa do tempo dos estudantes fora da escola, de tal modo que este concorre fortemente com os estudos, impedindo que os jovens vivam sua condição de estudante plenamente. A submissão precoce ao trabalho e em condições cada vez mais precárias, na atual sociabilidade capitalista, compromete não apenas os projetos profissionais dos estudantes, mas, sobretudo, reforça sua condição de classe, limitando, cada vez mais, suas possibilidades de formação, criação e desenvolvimento humano.


Palavras-chave


Juventude. Escola. Trabalho.

Texto completo:

PDF

Referências


BEAUD, S.; PIALOUX, M. Rebeliões urbanas e a desestruturação das classes populares (França, 2005). Tempo Social, Revista de Sociologia da USP, v.18, n. 1, jun. 2006.

CUNHA, L. A. Educação e desenvolvimento social no Brasil. 8.ed. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1980.

DANTAS, J. S. Espaços coletivos de esperança: a experiência política e pedagógica da Comissão de Educação do Fórum do Maciço do Morro da Cruz em Florianópolis/SC. Tese (Doutorado em Educação). Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina, 2012.

FERNANDES, F. Educação e sociedade no Brasil. São Paulo: Dominus Editora,1966.

FORACCHI, M.A. A juventude na sociedade moderna. São Paulo: Pioneira, 1977.

HARVEY, D. Entrevista. Público, Lisboa/PT, 17 de julho de 2016.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio 2006. Brasília, DF: IBGE, 2006. Disponível em www.ibge.gov.br. Acesso em: 05 jul. 2016.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico 2010 - resultados gerais da amostra. Brasília, DF: IBGE, 2010. Disponível em: http://cidades.ibge.gov.br/xtras/temas.php?lang=&codmun=420540&idtema=97&search=santa-catarina|florianopolis|censo-demografico-2010:-resultados-da-amostra-migracao. Acesso em: 05 jul. 2016.

MARX, K. Contribuição para a crítica da economia política. Lisboa, Editorial, 1973.

MARX, K. O capital: crítica da economia política. 25 ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008, livro I, vol. 1, p. 211-231.

MARX, K. Cap. VI Inédito de O Capital (1 edição). São Paulo: Livraria Editora Ciências Humanas LTDA. 1978.

MARX, K. Trabalho Assalariado e Capital. 5 de abril de 1849. Obras Escolhidas em Três Tomos.Cidade: Editora Avante, 2006.

MÉSZAROS, I. A educação para além do capital. São Paulo: Boitempo, 2005.

OLIVEIRA, F. A economia brasileira: crítica à razão dualista. 6.ed. Petrópolis, Rio de Janeiro, Vozes, 1988.




DOI: https://doi.org/10.21723/riaee.v12.n4.out./dez.2017.8839



Direitos autorais 2017 Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação

 

Rev. Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1982-5587

DOI Prefix: 10.21723/riaee

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.