Práticas, representações e mediação: o uso dos laptops educacionais e as intervenções docentes no processo de aprendizagem da educação básica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v12.n.esp.2.10075

Palavras-chave:

Práticas pedagógicas. Tecnologias digitais. Mediação. Aprendizagem.

Resumo

O objetivo deste estudo é analisar o entendimento dos professores sobre o uso de Laptops Educacionais no processo de ensino aprendizagem da Educação Básica e refletir acerca da mediação pedagógica, que pode ser realizada a partir do uso desses recursos, com potencial para levar o aluno a desencadear processos internos de significação. Para isso tomamos os conceitos de representação, cunhado por Chartier, de prática educativa conforme propõe Zabala e de aprendizagem e mediação a partir da teoria vygotskiana. Para alcançar tal finalidade, foi constituído um corpus de pesquisa, com a colaboração de cinco professores que atuam no Ensino Fundamental em uma escola municipal do interior gaúcho. A metodologia elegida foi de abordagem qualitativa, permitindo o envolvimento ativo dos pesquisadores por meio da realização de um grupo focal, que gerou um rico conjunto de registros escritos revelando a subjetividade dos sujeitos colaboradores da pesquisa. Os resultados, baseados na análise textual discursiva, mostram que a presença dos laptops educacionais tornam as aulas mais dinâmicas e possibilitam uma reorganização das tarefas escolares, em termos de tempo e espaço. Revelam também, um fortalecimento na interação professor-aluno. As verbalizações dos professores permitem inferir sobre a necessidade deles ampliarem a reflexão sobre o potencial desses recursos, por meio de encontros de estudos com seus pares, a fim de implementarem suas práticas com intervenções mediadoras que possibilitem aos alunos, desenvolverem processos internos de significação, de forma que as tarefas realizadas, com auxílio dos recursos digitais, possam funcionar como ação mediadora da aprendizagem, como propõe a teoria vygotskiana.

Biografia do Autor

Elaine Cátia Falcade Maschio, UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Paraná. Pesquisadora Pós-Doutorado da Universidade de Caxias do Sul junto ao Programa de Pós-Graduação em Educação - PPGEdu-UCS.

Eliana Maria Sacramento Soares, Universidade de Caxias do sul

Bacharel, Licenciada e Mestre em Matemática pela Universidade Estadual de Campinas e doutora em Metodologia do Ensino Superior pela Universidade Federal de São Carlos. Pesquisadora e professora do Centro de Ciências Exatas e da Tecnologia da Universidade de Caxias do Sul, RS. Membro do corpo permanente do Programa de Pós-graduação, Mestrado e Doutorado em Educação, dessa Universidade atuando na linha de pesquisa Educação, Linguagem e Tecnologia. Participa de pesquisas com temas relacionados à: formação docente no contexto da cultura digital; tecnologia e cognição; tecnologia digital e processos educativos; educação, cultura de paz e espiritualidade.

Referências

BARBIER, R. Escuta sensível na formação de profissionais de saúde. Conferência na Escola Superior de Ciências da Saúde – FEPECS-SES-GDF. Brasília, 2002. Disponível em: ‹http://www.barbier-rd.nom.fr/ESCUTASENSIVEL.PDF›. Acesso em: 08 maio 2017.

BRASIL. Resolução FNDE/CD nº 17 de junho de 2010. Estabelece normas e diretrizes para que os Municípios, Estados e o Distrito Federal se habilitem ao Programa Um Computador por Aluno – PROUCA. Disponível em: http://www.fnde.gov.br/programas/programa-nacional-de-tecnologia-educacional-proinfo/proinfo-projeto-um-computador-por-aluno-uca. Acesso em: 08 maio 2017.

CHARTIER, R. A História cultural: entre práticas e representações. São Paulo: Difel, 1990.

FAGUNDES, L. C.: VALENTINI, C. B.; SOARES, E. M. S; Linguagem, educação e recursos midiáticos: quem mexeu na minha escola? In: Ética, educação e tecnologia: pensamento em alternativas para os desafios da educação na atualidade. Pescador, C. Soares, E. M. S., Nodari, P. C. (Org.). Curitiba: Editora CRV, 2010.

LOPES, D. Q.; VALENTINI, C. B.. Mídias Locativas e Realidade Mixada: a produção de sentidos sobre o digital-virtual a partir da cartografia com suporte das tecnologias digitais. Educação Unisinos, v. 16, p. 205-214, 2012.

MASCHIO, E. C. F.; MARTINS, O. B.. As tecnologias digitais na escola e a formação docente: representações, apropriações e práticas. Actualidades Investigativas em Educación, v. 14, p. 01-21, 2014.

MATUI, J. Construtivismo: teoria construtivista sócio-histórica aplicada ao ensino. SP:

Moderna, 1995.

MILL, D.. Escritos sobre educação: desafios e possibilidades para ensinar e aprender com as tecnologias emergentes. São Paulo: Paulus, 2013.

MORAES, M. C.; LAURINO, D. P.; MACHADO, C. C.. Práticas docentes atualizadas na ecologia digital. Renote, Revista Novas Tecnologias na Educação. v.11, n. 3, p. 1-10, 2013. Disponível em http://seer.ufrgs.br/index.php/renote/article/view/44448/28166. Acesso em: 15 maio 2017.

MORAES R.; GALIAZZI, M. C. Análise textual discursiva. Ijuí: Ed. Unijuí, 2007.

NETO, O. C.; MOREIRA, M. R.; SUCENA, L. F. M. Grupos Focais e Pesquisa Social Qualitativa: o debate orientado como técnica de investigação. Trabalho apresentado no XIII Encontro da Associação Brasileira de Estudos Populacionais, MG, 2002.

MOSCOVICI, S.. A representação social da psicanálise. Tradução de Cabral. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.

SOARES, E. M. S.; BRUSTOLIN, R. K. Formação humana dos educadores na era digital: convivência e conversações em grupos focais. CONGRESSO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO: Profissão docente há futuro para esse ofício? VII. Anais. São Leopoldo, RS, 2011.

VALENTINI, C. B.; PESCADOR, C.; SOARES, E. M. do S.. O laptop educacional na escola pública: letramento digital e possibilidades de transformação das práticas pedagógicas. Educação (Santa Maria. Online), v. 38, p. 151-164, 2013.

OLIVEIRA, M. K. et al . Piaget-Vygotsky: Novas contribuições para o debate. 6. ed. São Paulo: Editora Ática, 2000.

VIGNERON, J.; OLIVEIRA, V. B. (org.) Sala de aula e tecnologias. São Bernardo do Campo: UMESP, 2005.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. 7. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

ZABALA, A.. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: Editora Artes Médicas Sul Ltda. 1998.

Downloads

Publicado

23/08/2017

Como Citar

Maschio, E. C. F., & Sacramento Soares, E. . M. (2017). Práticas, representações e mediação: o uso dos laptops educacionais e as intervenções docentes no processo de aprendizagem da educação básica. Revista Ibero-Americana De Estudos Em Educação, 12(esp.), 1372–1390. https://doi.org/10.21723/riaee.v12.n.esp.2.10075