O professor que ensina matemática nos anos iniciais: uma abertura ao contínuo acontecer histórico

Luciane Ferreria Mocrosky, Nelem Orlovski, Henrique Lidio

Resumo


Este artigo apresenta aspectos históricos da formação do professor dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental. Numa perspectiva filosófica-hermenêutica, lança luz sobre significados atribuídos ao termo formação e, com as compreensões possibilitadas pelo estudo interpretativo-reflexivo, evidencia registros históricos à Pedagogia como lócus de formação acadêmica do professor dos Anos Iniciais. Pela descrição do que veio como herança da historicidade do curso de Pedagogia, o texto explicita entendimentos acerca do modo como a matemática se presentifica em tal graduação. Como síntese compreensiva, destaca que a Pedagogia permanecerá sempre em constituição, haja vista que a identidade do curso como formador do professor dos Anos Iniciais e, mais ainda, do professor de matemática, está a caminho, construindo-se, deixando em aberto possibilidades de a formação do professor se dar.

Palavras-chave


Educação Matemática; Formação inicial; Pedagogia; Anos iniciais.

Texto completo:

PDF PDF (Español (España)) XML

Referências


ALMEIDA, Marlisa Bernardi de; LIMA, Maria das Graças de. Formação inicial de professores e o curso de Pedagogia: reflexões sobre a formação matemática. Ciênc. educ., Bauru, v. 18, n. 2, p. 451-468, 2012.

ANDRÉ, Marli. Pesquisas sobre formação de professores: tensões e perspectivas do campo. In: FONTOURA, Helena Amaral.; SILVA, Marco (Orgs.). Formação de professores, culturas: desafios à Pós-graduação em Educação em suas múltiplas dimensões. E-book online. Disponível em: http://www.fe.ufrj.br/anpedinha2011/sobre.html. Acesso em: 5 nov. 2014.

BRASIL. Decreto-Lei nº 1.190, de 4 de abril de 1939. Dá organização à Faculdade Nacional de Filosofia. Coleção de Leis da República Federativa do Brasil, Brasília, v. 4, p. 50, 1939. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/declei/1930-1939/decreto-lei-1190-4-abril-1939-349241-publicacaooriginal-1-pe.html. Acesso em: 22 out. 2013.

BRASIL. Parecer n. 5/2005. Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de Pedagogia. Relatoras: Clélia Brandão Alvarenga Craveiro e Petronilha Beatriz Gonçalves e Silva. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF. Disponível em: portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/pcp05_05.pdf. Acesso em: 13 out. 2013.

BRASIL. MEC/CNE. Resolução CNE/CP 1/2006. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Pedagogia, licenciatura.

BRASIL. Senado Federal. Lei nº 9.394, de 20 dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, p. 27833, 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.brccivil_03/LEIS/L9394.htm. Acesso em: 16 nov. 2013.

BRITO, Rosa Mendonça de. Breve histórico do Curso de Pedagogia no Brasil. Dialógica. v. 1, n. 1, 2006. Disponível em: http://dialogica.ufam.edu.br/PDF/no1/1breve_historico_curso_pedagogia.pdf. Acesso em: 10 nov. 2016.

CURI, Edda. Formação de professores polivalentes: uma análise de conhecimentos para ensinar matemática e de crenças e atitudes que interferem na constituição desses conhecimentos. 2004. Tese (Doutorado em Educação Matemática) – Pontifícia Universidade Católica, São Paulo, 2004.

CURI, Edda. A formação matemática de professores dos anos iniciais do ensino fundamental face às novas demandas brasileiras. Revista Iberoamericana de Educación, v. 37, n. 5, p. 1-9, 2005.

FIORENTINI, Dario et al. (org). Mapeamento da pesquisa acadêmica brasileira sobre o professor que ensina matemática: período 2001 – 2012. Campinas-SP: Faculdade de Educação, 2016. Disponível em: http://www.sbembrasil.org.br/sbembrasil/index.php/93-biblioteca/115-biblioteca-em-educacao-matematica. Acesso em: 12 mar. 2017.

GADAMER, Hans-Georg. Verdade e Método: traços fundamentais de uma hermenêutica filosófica. Tradução Flávio Paulo Meurer. 1. ed. Petrópolis: Vozes, 1997.

GATTI, Bernadete Angelina. A formação inicial de professores para a Educação Básica: as licenciaturas. Revista USP, São Paulo, n. 100, p. 33-46, dez/jan/fev. 2013-2014.

GATTI, Bernadete Angelina. Formação de professores no Brasil: características e problemas. Educ. Soc., Campinas, v. 31, n. 113, p. 1355-1379, out/dez. 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0101-73302010000400016&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 15 jan. 2016.

LIBÂNEO, José Carlos. Diretrizes Curriculares da Pedagogia: imprecisões teóricas e concepções estreitas da formação profissional de educadores. Educação & Sociedade, Campinas, v. 27, n. 96, especial out. 2006.

LIDIO, Henrique. Uma metacompreensão acerca da formação inicial do professor que ensina matemática. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2015.

ORLOVSKI, Nelem. A forma-ação do professor que ensina matemática nos anos iniciais. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) – UFPR, Curitiba, 2014.

ORLOVSKI, Nelem; MOCROSKY, Luciane Ferreira. Professor que ensina matemática nos anos iniciais: re-tratando seu acontecer histórico. Jornal Internacional de Estudos em Educação Matemática, v. 9, p. 86-114, 2016.

TANURI, Maria Leonor. História da formação de professores. Revista Brasileira de Educação, Campinas-SP, v. 14, p. 61-88, maio/ago., 2000.




DOI: https://doi.org/10.21723/riaee.v14i1.10894



Direitos autorais 2019 Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação

 

Rev. Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1982-5587

DOI Prefix: 10.21723/riaee

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.