Uma professora iniciante aprendendo a alfabetizar: processos formativos e saberes docentes na corda bamba

Taís Aparecida de Moura, Maria Regina Guarnieri

Resumo


Este artigo decorre de uma pesquisa de mestrado na área de educação escolar e tem como objetivo refletir sobre os saberes que envolvem a aprendizagem da docência para alfabetizar, considerando as vivências de uma professora iniciante em uma turma do 1º ano do Ensino Fundamental. Para tanto, desenvolveu-se uma pesquisa qualitativa, de base empírica, com observações em sala de aula e entrevista. Os dados obtidos foram organizados no eixo temático “A natureza do processo de alfabetização” e analisados nas categorias: 1) concepção de alfabetização; 2) escolha dos métodos de alfabetização; 3) saberes docentes para alfabetizar. Os resultados apontaram a prática de alfabetização como um processo complexo, que se agrava diante da insuficiência de saberes adquiridos na formação inicial docente para ensinar a ler e a escrever. Portanto, este estudo é propositivo para problematizarmos os rumos da formação do professor alfabetizador, que aparenta estar no balanço de uma corda bamba. 


Palavras-chave


Formação inicial docente; Início da docência; Práticas de alfabetização; Aprendizagem da docência; Saberes docentes.

Texto completo:

PDF PDF (Español (España))

Referências


BOGDAN, R. BIKLEN, S. Investigação Qualitativa em Educação. Lisboa: Porto Editora, 1994.

CARVALHO, M. Alfabetizar e letrar: um diálogo entre a teoria e a prática. 5. ed. – Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

CORSI, A. M. Professoras iniciantes: situações difíceis enfrentadas no início da prática docente no Ensino Fundamental. In: 28ª Reunião Anual da ANPEd. Caxambu, MG: ANPEd, out. 2005. Disponível em: http://www.anped.org.br/reunioes/28/inicio.htm. Acesso em: 12 jul. 2013.

ENGUITA, M. F. A ambiguidade da docência: entre o profissionalismo e a proletarização. In: Teoria & Educação, n.4, p. 41-61, 1999.

GIBBS, G. Análise de dados qualitativos. Tradução Roberto Cataldo Costa; consultoria, supervisão e revisão técnica desta edição Lori Viali. Porto Alegre, Artmed, 2009.

GIOVANNI, L. M. Indagação e reflexão como marcas da profissão docente. In: GUARNIERI, M. R. (org.). Aprendendo a ensinar: o caminho nada suave da docência. 2.ed. Campinas, SP: Autores Associados; Araraquara, SP, 2005.

GONÇALVES, J. A. M. A carreira das professoras do ensino primário. In: NÓVOA, A. (org.) Vidas de Professores. 2.ed. Porto: Porto Editora, 2000, p. 141-197.

GUARNIERI, M. R. Tornando-se professor: o início na carreira docente e a consolidação da profissão. 1996. 157 f. Tese (Doutorado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, do Centro de Educação e Ciências Humanas da Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 1996.

HUBERMAN, M. O ciclo de vida profissional dos professores. In: NÓVOA, A. (org.) Vidas de Professores. 2.ed. Porto: Porto Editora, 2000, p. 31-78.

LIMA, E. F. (Org.) Sobrevivências: no início da docência. Brasília: Líber Livro, 2006.

LIMA, E. F. et al. Sobrevivendo ao início da carreira docente e permanecendo nela. Como? Por quê? O que dizem os estudos. Educação & Linguagem, ano 10, n.15, p. 138-160, jan.-jun. 2007.

MARCELO GARCIA, C. Formação de professores principiantes. In: Formação de Professores: para uma mudança educativa. Porto Editora, p. 109-132, 1999.

MARREIROS, R. S. A. Dos métodos de alfabetização às práticas das professoras: um percurso a ser desvelado. 2011. 127 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal do Maranhão, São Luís, 2011.

MOURA, T. A.; SILVA, G. P. Desenvolvimento profissional docente, PIBID e bonecas russas. Anais do II Congresso Nacional de Formação de Professores e XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educação: “por uma revolução no campo da formação de professores”, realizado de 7 a 9 de abril de 2014, p. 377-383.

NÓVOA, A. Apresentação da obra. In: NÓVOA, A. (org.) Vidas de Professores. 2.ed. Porto: Porto Editora, p. 09-10, 2000.

PAPI, S. O. G.; MARTINS, P. L. O. As pesquisas sobre professores iniciantes: algumas aproximações. Educ. rev., dez. 2010, vol.26, n.3, p.39-56. Disponível em: www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-46982010000300003&script. Acesso em: 21 abr 2014.

POWACZUK, A. C. H. A Construção da Professoralidade Alfabetizadora. In: 32ª Reunião Anual da ANPEd. Caxambu, MG: ANPEd, out. 2009. Disponível em: http://www.anped.org.br/reunioes/32ra/arquivos/trabalhos/GT08-5626--Int.pdf. Acesso em: 30 abr. 2014.

SCHEFFER, A. M. M. Concepções de alfabetização construídas por professoras dos anos iniciais do Ensino Fundamental: as práticas discursivas como eixo de reflexão. 2008. 126 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2008.

SISLA, H. C.; MOURA, T. A. Iniciação à docência: os sabores e saberes desta descoberta. In: Anais do XVII ENDIPE: a didática e a prática de ensino nas relações entre escola, formação de professores e sociedade, realizado de 11 a 14 de novembro de 2014.

SOARES, M. As muitas facetas da alfabetização. In: Alfabetização e Letramento. 6.ed. São Paulo: Contexto, 2014.

TARDIF, M.; LESSARD, C.; LAHAYE, L. Os professores diante do saber: esboço de uma problemática do saber docente. Teoria & Educação. Brasil, vol.1, n.4, p. 215-233, 1991.

VEENMAN, S. El proceso de llegar a ser profesor: un análisis de la formación inicial. In: VILLA, Alberto (coord.). Perspectivas y problemas de la función docente. Madrid / Espanha: Narcea, 1988.

VIEIRA, H. M. M. Como vou aprendendo a ser professora depois da formatura: análise do tornar-se professora na prática da docência. Tese (Doutorado em Educação). Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2002.




DOI: https://doi.org/10.21723/riaee.v14i3.11552



Direitos autorais 2019 Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação

 

Rev. Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1982-5587, ISSN: 2446-8606.

DOI Prefix: 10.21723/riaee

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.