Uma professora iniciante aprendendo a alfabetizar: processos formativos e saberes docentes na corda bamba

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v14i3.11552

Palavras-chave:

Formação inicial docente, Início da docência, Práticas de alfabetização, Aprendizagem da docência, Saberes docentes.

Resumo

Este artigo decorre de uma pesquisa de mestrado na área de educação escolar e tem como objetivo refletir sobre os saberes que envolvem a aprendizagem da docência para alfabetizar, considerando as vivências de uma professora iniciante em uma turma do 1º ano do Ensino Fundamental. Para tanto, desenvolveu-se uma pesquisa qualitativa, de base empírica, com observações em sala de aula e entrevista. Os dados obtidos foram organizados no eixo temático “A natureza do processo de alfabetização” e analisados nas categorias: 1) concepção de alfabetização; 2) escolha dos métodos de alfabetização; 3) saberes docentes para alfabetizar. Os resultados apontaram a prática de alfabetização como um processo complexo, que se agrava diante da insuficiência de saberes adquiridos na formação inicial docente para ensinar a ler e a escrever. Portanto, este estudo é propositivo para problematizarmos os rumos da formação do professor alfabetizador, que aparenta estar no balanço de uma corda bamba. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Taís Aparecida de Moura, Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP

Doutoranda do programa de Pós-graduação em Educação da UNICAMP, no qual faz parte do grupo de pesquisa Alfabetização, Leitura e Escrita / Trabalho Docente na Formação Inicial (ALLE / AULA), da linha de pesquisa Linguagem e Arte em Educação. Mestra pelo programa de Pós-graduação em Educação Escolar da UNESP Araraquara (2016), na linha de pesquisa Formação de Professores, Trabalho Docente e Práticas Pedagógicas, em que desenvolveu estudos como bolsista CNPq sobre as práticas de alfabetização realizadas por professoras alfabetizadoras com tempos de docência diferenciados. Na UFSCar fez graduação em Licenciatura em Pedagogia (2011) e foi bolsista do PIBID. 

Maria Regina Guarnieri, Universidade de Araraquara - UNIARA

Pedagoga pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP), Mestre e Doutora em Educação na área de Metodologia de Ensino pela UFSCAR/SP. Professora aposentada da Faculdade de Ciências e Letras UNESP/Campus de Araraquara-SP com vínculo como docente voluntário junto ao Departamento de Didática e atua no Programa de Pós- graduação em Educação Escolar da UNESP, pesquisando temas relacionados ao trabalho de professores dos anos iniciais da escola fundamental com ênfase nas questões voltadas para a prática pedagógica e aprendizagem da docência. É docente e pesquisadora do Programa de Mestrado em Processos de Ensino, Gestão e Inovação-área de Educação da Universidade de Araraquara/SP (UNIARA).É líder do Grupo de Pesquisa "Trabalho docente e suas relações com o universo escolar e a sociedade" cadastrado no Diretório dos Grupos de Pesquisa do CNPq .

Referências

BOGDAN, R. BIKLEN, S. Investigação Qualitativa em Educação. Lisboa: Porto Editora, 1994.

CARVALHO, M. Alfabetizar e letrar: um diálogo entre a teoria e a prática. 5. ed. – Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

CORSI, A. M. Professoras iniciantes: situações difíceis enfrentadas no início da prática docente no Ensino Fundamental. In: 28ª Reunião Anual da ANPEd. Caxambu, MG: ANPEd, out. 2005. Disponível em: http://www.anped.org.br/reunioes/28/inicio.htm. Acesso em: 12 jul. 2013.

ENGUITA, M. F. A ambiguidade da docência: entre o profissionalismo e a proletarização. In: Teoria & Educação, n.4, p. 41-61, 1999.

GIBBS, G. Análise de dados qualitativos. Tradução Roberto Cataldo Costa; consultoria, supervisão e revisão técnica desta edição Lori Viali. Porto Alegre, Artmed, 2009.

GIOVANNI, L. M. Indagação e reflexão como marcas da profissão docente. In: GUARNIERI, M. R. (org.). Aprendendo a ensinar: o caminho nada suave da docência. 2.ed. Campinas, SP: Autores Associados; Araraquara, SP, 2005.

GONÇALVES, J. A. M. A carreira das professoras do ensino primário. In: NÓVOA, A. (org.) Vidas de Professores. 2.ed. Porto: Porto Editora, 2000, p. 141-197.

GUARNIERI, M. R. Tornando-se professor: o início na carreira docente e a consolidação da profissão. 1996. 157 f. Tese (Doutorado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, do Centro de Educação e Ciências Humanas da Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 1996.

HUBERMAN, M. O ciclo de vida profissional dos professores. In: NÓVOA, A. (org.) Vidas de Professores. 2.ed. Porto: Porto Editora, 2000, p. 31-78.

LIMA, E. F. (Org.) Sobrevivências: no início da docência. Brasília: Líber Livro, 2006.

LIMA, E. F. et al. Sobrevivendo ao início da carreira docente e permanecendo nela. Como? Por quê? O que dizem os estudos. Educação & Linguagem, ano 10, n.15, p. 138-160, jan.-jun. 2007.

MARCELO GARCIA, C. Formação de professores principiantes. In: Formação de Professores: para uma mudança educativa. Porto Editora, p. 109-132, 1999.

MARREIROS, R. S. A. Dos métodos de alfabetização às práticas das professoras: um percurso a ser desvelado. 2011. 127 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal do Maranhão, São Luís, 2011.

MOURA, T. A.; SILVA, G. P. Desenvolvimento profissional docente, PIBID e bonecas russas. Anais do II Congresso Nacional de Formação de Professores e XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educação: “por uma revolução no campo da formação de professores”, realizado de 7 a 9 de abril de 2014, p. 377-383.

NÓVOA, A. Apresentação da obra. In: NÓVOA, A. (org.) Vidas de Professores. 2.ed. Porto: Porto Editora, p. 09-10, 2000.

PAPI, S. O. G.; MARTINS, P. L. O. As pesquisas sobre professores iniciantes: algumas aproximações. Educ. rev., dez. 2010, vol.26, n.3, p.39-56. Disponível em: www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-46982010000300003&script. Acesso em: 21 abr 2014.

POWACZUK, A. C. H. A Construção da Professoralidade Alfabetizadora. In: 32ª Reunião Anual da ANPEd. Caxambu, MG: ANPEd, out. 2009. Disponível em: http://www.anped.org.br/reunioes/32ra/arquivos/trabalhos/GT08-5626--Int.pdf. Acesso em: 30 abr. 2014.

SCHEFFER, A. M. M. Concepções de alfabetização construídas por professoras dos anos iniciais do Ensino Fundamental: as práticas discursivas como eixo de reflexão. 2008. 126 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2008.

SISLA, H. C.; MOURA, T. A. Iniciação à docência: os sabores e saberes desta descoberta. In: Anais do XVII ENDIPE: a didática e a prática de ensino nas relações entre escola, formação de professores e sociedade, realizado de 11 a 14 de novembro de 2014.

SOARES, M. As muitas facetas da alfabetização. In: Alfabetização e Letramento. 6.ed. São Paulo: Contexto, 2014.

TARDIF, M.; LESSARD, C.; LAHAYE, L. Os professores diante do saber: esboço de uma problemática do saber docente. Teoria & Educação. Brasil, vol.1, n.4, p. 215-233, 1991.

VEENMAN, S. El proceso de llegar a ser profesor: un análisis de la formación inicial. In: VILLA, Alberto (coord.). Perspectivas y problemas de la función docente. Madrid / Espanha: Narcea, 1988.

VIEIRA, H. M. M. Como vou aprendendo a ser professora depois da formatura: análise do tornar-se professora na prática da docência. Tese (Doutorado em Educação). Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2002.

Publicado

18/10/2019

Como Citar

MOURA, T. A. de; GUARNIERI, M. R. Uma professora iniciante aprendendo a alfabetizar: processos formativos e saberes docentes na corda bamba. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 14, n. 3, p. 1001–1014, 2019. DOI: 10.21723/riaee.v14i3.11552. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/11552. Acesso em: 16 jun. 2021.

Edição

Seção

Artigos