Do documento final da Conae ao Plano Nacional de Educação: uma análise da meta 19

Lucília Augusta Lino, Karine Vichiett Morgan

Resumo


A gestão democrática da educação tem sido tema corrente nas discussões educacionais tanto no âmbito da academia quanto no âmbito dos sistemas de ensino, em grande medida, por ser esta uma arena de disputas de projetos antagônicos de educação e sociedade. Este artigo objetiva analisar os sentidos de gestão democrática oriundos das discussões da sociedade travadas nas Conferências de Educação e consolidados no documento final da CONAE de 2010 frente aos sentidos dados na meta 19 do Plano Nacional de Educação – Lei nº 13.005/2014.

Palavras-chave


Gestão democrática. Plano Nacional de Educação. Política educacional.

Texto completo:

PDF XML

Referências


BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Presidência da República, Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constitui%C3%A7ao.htm. Acesso em: 7 set. 2017.

BRASIL. Lei n. 9.394/96, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF. Seção 1, p. 27.833, 23 dez. 1996.

BRASIL. Lei n° 10.172, de 9 de janeiro de 2001. Aprova o Plano Nacional de Educação. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 10 jan. 2001.

BRASIL. Plano Nacional da Educação: proposta do executivo ao Congresso Nacional. Brasília: Ministério da Educação e do Desporto. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP, 1998. 129p.

BRASIL. Projeto de Lei, nº 8035, de 2010, do Poder Executivo, que "aprova o Plano Nacional de Educação para o decênio 2011-2020 e dá outras providências" (PL803510). MEC, 2010. Disponível em: www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao? idProposicao=490116. Acesso em: 7 set. 2017.

BRASIL. Conferência Nacional de Educação. Anais da Conferência Nacional de Educação (Conae) 2010: Construindo o Sistema Nacional Articulado de Educação - o Plano Nacional de Educação, diretrizes e estratégias de ação (2010, Brasília, DF). – V.1 Brasília: MEC, 2011a.

CUNHA, Luiz Antônio Constant Rodrigues. Educação, Estado e democracia no Brasil. 4ª ed. Cortez Editora, 2001.

DAGNINO, Evelina. Construção democrática, neoliberalismo e participação: os dilemas da confluência perversa. Política & Sociedade, v. 3, n. 5, p. 139-164, 2004.

FRIGOTTO, Gaudêncio.; CIAVATTA, Maria. Educação básica no Brasil na década de 1990: subordinação ativa e consentida à lógica do mercado. Educação & sociedade, v. 24, n. 82, 2003.

GENTILI, Pablo. A falsificação do consenso: simulacro e imposição na reforma educacional do neoliberalismo. Petrópolis: Vozes, 1998.

GENTILI, Pablo.; SILVA, Tomaz Tadeu. Neoliberalismo, qualidade total e educação. Petrópolis: Vozes, 2015.

KRAWCZYK, Nora Rut.; VIEIRA, Vera Lucia. A reforma educacional na América Latina nos anos 1990: uma perspectiva histórico-sociológica. São Paulo: Xamã. 2008

MONTAÑO, Carlos. O canto da sereia: crítica à ideologia e aos projetos do" Terceiro Setor". Cortez Editora, 2014.

PARO, Vitor Henrique. Gestão da Escola Pública: a Participação da Comunidade. Revista Brasileira de Estudos pedagógicos. Brasília, v.73, n.174, p.255-290, maio/ago., 1992.

SCHEDLER, Andreas. Conceptualizing accountability. In: SCHEDLER, Andreas; DIAMOND, Larry.; PLATTNER, Marc F. Restraining the state: conflicts and agents of accountability. The self-restraining state: power and accountability in new democracies. Lynne Rienner Publishers, Inc. 1999.

VIEIRA, Sofia Lerche. Neoliberalismo, privatização e educação no Brasil: política educacional impasses e alternativas. São Paulo: Cortez, 1995.




DOI: https://doi.org/10.22633/rpge.v22.nesp1.2018.10784



Rev. on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1519-9029

DOI prefix: 10.22633/rpge

Licença Creative Commons 

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.