Políticas públicas brasileiras e práticas democráticas de diretores escolares

Autores

  • Maria Cecília Luiz UFSCAr
  • Ronaldo Martins Gomes
  • Cristina de Cássia Mabelini da Silva

DOI:

https://doi.org/10.22633/rpge.v20.n2.9459

Palavras-chave:

Diretores de escola, Políticas Públicas Brasileiras, Gestão democrática, Participação.

Resumo

Refletimos sobre a importância das práticas democráticas como processo e seu significado no âmbito educacional, a partir de relatos de alguns diretores escolares. A parte empírica foi realizada em uma cidade de médio porte, localizada no interior de São Paulo. Estabeleceu-se uma amostra de dez escolas municipais cada uma com seus respectivos gestores e efetuamos entrevistas semiestruturadas, com intuito de verificar em que medida eles criavam práticas democráticas e em que espaços, segundo os seus pontos de vista. Apresentamos três categorias: espaços democráticos e a política da escola; a democracia na visão dos diretores de escola; e,  políticas educacionais e gestão democrática. Ao analisarmos os relatos e práticas dos diretores concluímos que estes, buscavam gerir a escola com perspectivas democráticas. Estas práticas são bastante criativas como foi o caso da política do cafezinho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

01/12/2016

Como Citar

LUIZ, M. C.; GOMES, R. M.; SILVA, C. de C. M. da. Políticas públicas brasileiras e práticas democráticas de diretores escolares. Revista on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, p. 185–201, 2016. DOI: 10.22633/rpge.v20.n2.9459. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/9459. Acesso em: 21 abr. 2021.

Edição

Seção

Artigos