Educação Especial E Formação De Professores: Uma Análise Dos Projetos Pedagógicos De Curso (PPC)

Wanessa Ferreira Borges, Cristiane Silva Santos, Maria da Piedade Resende da Costa

Resumo


A democratização do ensino vem impulsionando demandas de formação. Neste sentido, o artigo objetivou descrever e analisar como os cursos de Licenciatura da Universidade Federal de Goiás - Regional Catalão (RC-UFG) têm se organizado quanto à oferta de disciplinas e temáticas relacionadas à educação especial e seu público-alvo. Trata-se de pesquisa documental, que se utilizou da análise de projetos pedagógicos de curso (PPC), matrizes curriculares e ementários dos componentes curriculares de 12 cursos de licenciatura da RC-UFG, os quais foram submetidos à técnica de análise do conteúdo. Os resultados demonstram que todos os cursos investigados ofertam a disciplina de Libras, e apenas cinco oferecem disciplinas e/ou discussão de conteúdos referentes às outras especificidades da educação especial. Os dados evidenciam que apenas mediante a obrigatoriedade de oferta de conteúdos relacionados à educação especial serão atendidas as recomendações legais de formação para atendimento à diversidade.

Palavras-chave


Educação especial; Formação inicial; Licenciaturas.

Texto completo:

PDF PDF (Español (España)) XML

Referências


ALVES, M. L. T; DUARTE, E. A percepção dos alunos com deficiência sobre a sua inclusão nas aulas de educação física escolar: um estudo de caso. Revista Brasileia de Educação Física do Esporte, São Paulo, p. 329-338, abr./jun. 2014.

AMARAL, L. A. et al. Projeto USP legal propondo uma política da USP referida à deficiência. 2000. Disponível em: www.fsp.usp.br/acessibilidade/cd/atiid2003/.../ProjetoUSPLegal.doc. Acesso em: 30 nov. 2010.

BARDIN, L. Análise do conteúdo. Lisboa- Portugal: Ed.70, 2004. 223p.

BASSO, S. P. S. Curso de licenciatura na área de Ciências: a temática inclusão escolar de alunos com necessidades educacionais especiais. 2015. 131f. Tese (Doutorado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação para a Ciência, Universidade Estadual Paulista “Julio de Mesquita Filho”, Bauru, 2015.

BORGES, W. F. Tecnologia Assistiva e Práticas de Letramento no Atendimento Educacional Especializado. 2015. 205 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-graduação em Educação, Universidade Federal de Goiás - Regional Catalão, Catalão, 2015.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal, 1988. Disponível em: http://www.culturabrasil.pro.br/zip/constituicao.pdf. Acesso em: 6 fev. 2011.

BRASIL. Decreto n. 5626 de 22 de dezembro de 2005. Regulamenta a Lei n. 10436 de 24 de abril de 2002 que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais e o art.18 da Lei 10.098 de 19 de dezembro de 2000. 2005. Disponível em: www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2005/Decreto/D5626.htm. Acesso em: 6 fev. 2011.

BRASIL. Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015. Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). 2015b. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2015/Lei/L13146.htm. Acesso em: 22 fev 2016.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Portaria 1793, de dezembro de 1994. Recomenda a inclusão da disciplina ou conteúdos sobre aspectos ético-político-pedagógicoeducacionais da normalização e integração da pessoa portadora de necessidades especiais em cursos de graduação. 1994. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/port1793.pdf. Acesso em: 6 fev. 2011.

BRASIL. Política Nacional de Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva. MEC/SEESP: Brasília, 2008a. Acesso em: Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/politica.pdf. Acesso em: 07 fev. 2011.

BRASIL. Resolução nº 2, de 1º de julho de 2015. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. 2015a. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=70431-res-cne-cp-002-03072015-pdf&category_slug=agosto-2017-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 16 fev. 2018.

CARDOSO, C. R. Organização do trabalho pedagógico, funcionamento e avaliação no Atendimento Educacional Especializado em Salas de Recursos Multifuncionais. 2013. 189 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-graduação em Educação, Universidade Federal de Goiás- Regional Catalão, Catalão, 2013.

INSTITUTO EDUCACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA. Sinopse estatística da educação básica 2016. Brasília: Inep, 2017. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/sinopses-estatistitcas-da-educacao-báscia. Acesso em: 27 fev. 2018.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA. Sinopse Estatística da Educação Básica. Brasília, 2015, Disponível em: http://portal.inep.gov.br/web/guest/sinopses-estatisticas-da-educacao-basica. Acesso em: 04 jan. 2018.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

MOREIRA, L. C.; BOLSANELLO, L. A.; SEGER, R. G. Ingresso e permanência na Universidade: alunos com deficiência em foco. Educar em Revista, Curitiba, n. 41, p. 125-143, 2001.

NOZI, G. S.; VITALIANO, C. R. Saberes de professores propícios à inclusão dos alunos com necessidades educacionais especiais: condições para sua construção. Revista Educação Especial, Santa Maria, v. 30, n. 59, p. 589-602, set./dez. 2017.

POKER, R. B.; MELLO, A. R. L. Inclusão e formação do professor. Journal of Research in Special Educational Needs, v. 16, n. 1, p. 619- 624, 2016.

PUREZA, M. G. B. Desvelando o território da educação inclusiva na formação inical de professores de Geografia: os projetos pedagógicos da UFPA e IFPA em análise. 2012. 200f. Dissertação (Mestrado em Educação) Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Pará, Belém, 2012.

RIBEIRO, E. B. V. Formação de professor de Ciências e Educação Inclusiva em uma instituição de ensino superior de Jataí-GO. 2011. 107f. Dissertação (Mestrado em Educação, Ciências e Matemática) – Programa de pós-graduação em Educação em Ciências e Matemática, Universidade Federal de Goiás.

SALVADOR, D. A. Métodos e técnicas de pesquisa bibliográfica. 11. ed. São Paulo: Sulinas, 1986.

SANTOS, Y. B. S. O paradigma da inclusão no curso de pedagogia do IFPA: o projeto formativo em debate. 2012. 152f. Dissertação (Mestrado em Educação). Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Pará, Belém, 2012.

SILVA, L. C. da. Políticas públicas e formação de professores: vozes e vieses da educação inclusiva. 2009. 251. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2009.

SILVA, M. R. A Formação de Professores de Atendimento Educacional Especializado de Goiás. 2014. 194 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Goiás - Regional Catalão, Catalão.

UNESCO. United Nations Educational, Scientific na Cutural Organization (1994). The Salamanca Statement an Framework for Anction Special Needs Education. Salamanca, 1994.

VEIGA, I. P. A. Inovações e projeto político-pedagógico: uma relação regulatória ou emancipatória? Cad. Cedes, Campinas, v.23, n. 61, p. 267-281, 2003.

VITALIANO, C. R.; MANZINI, E. J. A formação inicial de professores para a inclusão de alunos com necessidades educacionais especiais. In: VITALIANO, C. R.; MANZINI, E. J. A. Formação de professores para a inclusão de alunos com necessidades educacionais especiais. Londrina: EDUEL, 2010. p. 49-112.




DOI: https://doi.org/10.21723/riaee.v14i1.11267



Direitos autorais 2019 Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação

 

Rev. Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1982-5587

DOI Prefix: 10.21723/riaee

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.