Fatores que influenciam o não ingresso de surdos no ensino superior: estudo de caso em Cachoeiro de Itapemirim - ES

Nadir Francisca Sant’Anna, Gláucio Roberto Bernardo de Cara, Gislaine Barbosa Cabral Silva, Flávia da Silva Gomes

Resumo


Este artigo investiga quais fatores podem estar relacionados às dificuldades de pessoas com surdez de ingressarem no ensino superior. Trata-se de um estudo exploratório de natureza quanti-qualitativa em que foi aplicado um questionário com 66 surdos do município de Cachoeiro de Itapemirim-ES. A abordagem pauta-se sob fatores associados aos aspectos sociodemográficos, à formação básica e à relação dos participantes com as políticas públicas e voltadas às pessoas com deficiência. No contexto desta pesquisa, constata-se que a falta de conhecimento sobre o conteúdo e as variações linguísticas no que se refere às avaliações dos processos seletivos foram os preditores que mais interferiram no desempenho dos que já haviam tentado o ingresso em um curso de graduação anteriormente. Ressalta-se a importância de novas investigações de modo a expandir a compreensão sobre o problema e, assim, contribuir para uma formação mais adequada, promovendo maior equidade.


Palavras-chave


Educação especial; Surdos; Políticas públicas; Ensino superior.

Texto completo:

PDF PDF (Español (España)) XML

Referências


BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado, 1988.

BRASIL. Lei n. 9394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, DF, 1996a. Disponível em: http://www.planalto.gov.br. Acesso em: 25 jun. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Aviso Circular nº 277/MEC/GM, de 8 de maio de 1996. Dirigido aos Reitores das IES, solicitando a execução adequada de uma política educacional dirigida aos portadores de necessidades especiais, Brasília, DF, 1996b. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/aviso277.pdf. Acesso em: 03 ago. 2018.

BRASIL. Lei n. 10.172, de 09 de janeiro de 2001. Estabelece o Plano Nacional de Educação. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 2001. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/cCivil_03/LEIS/LEIS_2001/L10172.htm. Acesso em: 09 jun. 2018.

BRASIL. Lei n. 10.436, 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais – Libras e dá outras providências. Diário Oficial da União: República Federativa do Brasil: Poder Legislativo, Brasília, DF, 2002. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/2002/L10436.htm. Acesso em: 09 jun. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria n. 3.284, de 7 de novembro de 2003. Dispõe sobre requisitos de acessibilidade de pessoas portadoras de deficiências, para instruir os processos de autorização e de reconhecimento de cursos, e de credenciamento de instituições. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/port3284.pdf. Acesso em: 03 ago. 2018.

BRASIL. Decreto n. 5.626, de 22 de dezembro de 2005. Regulamenta a Lei n. 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais – Libras e, o art. 18 da Lei n. 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Brasília, DF, 2005. Disponível em: Acesso em: 09 jun. 2018.

BRASIL. Lei n. 12.711, de 29 de agosto de 2012. Dispõe sobre o ingresso nas universidades federais e nas instituições federais de ensino técnico de nível médio e dá outras providências. Brasília, DF, 2012. Disponível em: http://www. planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12711.htm. Acesso em: 07 ago. 2018.

BRASIL. Lei n. 13.409, de 28 de dezembro de 2016. Altera a Lei n. 12.711, de 29 de agosto de 2012, para dispor sobre a reserva de vagas para pessoas com deficiência nos cursos técnico de nível médio e superior das instituições federais de ensino. Brasília, DF, 2016. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2016/Lei/L13409.htm. Acesso em: 09 ago. 2018.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Censo da educação superior 2015: resumo técnico. Brasília: Inep, 2018. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/censo-da-educacao-superior. Acesso em: 09 ago. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Sistema e-MEC. Disponível em: http://emec.mec.gov.br/. Acesso em: 09 ago. 2018.

BRUNO, M. M. G. Políticas afirmativas para a inclusão do surdo no ensino superior: algumas reflexões sobre o acesso, a permanência e a cultura universitária. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, v. 92, n. 232, 2011.

CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM. Lei n. 7499, 24 de outubro de 2017. Declara entidade de utilidade pública a “associação dos surdos de Cachoeiro de Itapemirim – ASSURCI” e dá outras providências. Cachoeiro de Itapemirim, ES, 2017. Disponível em: http://www.fclar.unesp.br/Home/Biblioteca/abnt_referencias.pdf. Acesso em: 09 ago. 2018.

CAMPOS, C. Apresentação. In: GASPAR, L.; BARBOSA, V. (Orgs.). Ações afirmativas e política de cotas no Brasil: uma bibliografia, 1999-2012. Recife, Ministério da Educação: Fundação Joaquim Nabuco, 2013.

GUIMARÃES, A. Racismo e anti-racismo no Brasil. 43 ed. São Paulo: Novos Estudos CEBRAP, 1995.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas. Censo Demográfico – 2010: Características da população e dos domicílios. Resultados do universo. Rio de Janeiro: IBGE, 2011.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas. Panorama das cidades. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/es/cachoeiro-de-itapemirim/panorama. Acesso em: 03 ago. 2018.

VALDÉS, M. T. M. (Org.). Inclusão de pessoas com deficiência no ensino superior no Brasil: caminhos e desafios. Fortaleza: Eduece, 2006.




DOI: https://doi.org/10.21723/riaee.v14i3.11786



Direitos autorais 2019 Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação

 

Rev. Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1982-5587

DOI Prefix: 10.21723/riaee

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.