Trajetórias escolares de pessoas com deficiências na educação básica: qual lugar da educação especial?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v15iesp.1.13510

Palavras-chave:

Educação especial, Escolarização, Pessoas com deficiência, Teoria histórico-cultural.

Resumo

O presente trabalha analisa as trajetórias escolares de pessoas com deficiência na educação básica, com foco no processo de escolarização. Trata-se de uma pesquisa realizada com a metodologia da história oral aplicada a quatro pessoas com deficiência (cegueira, surdez e deficiência física), por meio de entrevistas semiestruturadas e uso da análise de conteúdo. O estudo sustenta-se na perspectiva da Teoria Histórico-Cultural. Os resultados sinalizam que a escola é fundamental para garantir a escolarização do sujeito com deficiência, inclusive, a supercompensação social é um dos elementos que contribuem na conclusão da educação básica e, posteriormente, do acesso ao ensino superior. Portanto, a trajetória escolar de pessoas com deficiência evidencia que o direito à educação, mediante um ensino baseado na mediação e desenvolvimento das funções psicológicas superiores, é imprescindível na garantia da sua formação educacional.

Biografia do Autor

Douglas Christian Ferrari de Melo, Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), Goiabeiras, Vitória – Espírito Santo

Professor do magistério superior adjunto II e Departamento de Educação, Política e Sociedade. Doutor em Educação pela Ufes.

João Henrique da Silva, Universidade Federal de Roraima (UFRR), Paricarana, Boa Vista – Roraima

Professor do magistério superior visitante do Programa de Pós-graduação em Educação. Doutor em Educação Especial pela UFSCar.

Referências

ALBERTI, V. História e Memória na sala de aula e o ensino de temas controversos. In: ROLLEMBERG, D.; QUADRAT, S. V. (Org.). História e Memória das Ditaduras no Século XX. v. 2. São Paulo: FGV, 2015.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa/Portugal: Edições 70, 2004.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 5 out. 1998. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 23 jan. 2020.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília: Presidência da República. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 dez. 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm. Acesso em: 27 ago. 2017.

BRASIL. Política Nacional de Educação Especial na perspectiva da educação inclusiva. Brasília, DF: MEC/SEESP, 2008.

CAIADO, K. R. M. (Org.). Trajetórias escolares de alunos com deficiência. São Carlos: EdUFSCar, 2013.

CAIADO, K. R. M. Aluno deficiente visual na escola: lembranças e depoimentos. Campinas, SP: Autores Associados: PUC, 2003.

CAIADO, K. R. M; BERRIBILLE, G. R; SARAIVA, L. A. In: CAIADO, K. R. M. (Org.), Trajetórias escolares de alunos com deficiência. São Carlos: EdUFSCar, 2013. p. 17-34.

CAMPOS, J. A. de P. P; DUARTE, M. Alunos com deficiência na escola: interações com os colegas de turma ao longo dos anos escolares. In: CAIADO, K. R. M. (Org.). Trajetórias escolares de alunos com deficiência. São Carlos: EdUFSCar, 2013. p. 165-184.

DAMÁZIO, M. F. M. Metodologia do serviço do atendimento educacional especializado em uma perspectiva inclusiva na escola regular. Revista on line de Política e Gestão Educacional, v. 22, n. esp. 2, p. 840-855, dez. 2018. ISSN 1519-9029. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/11916. Acesso em: 27 mar. 2020.

DIDEROT, D. Carta sobre os cegos. In: DIDEROT. Os pensadores. São Paulo: Abril Cultural, 1979. p. 26-85.

FACCI, M. G. D. Professora, é verdade que ler e escrever é uma coisa fácil? reflexões em torno do processo ensino-aprendizagem na perspectiva vygotskiana. In: MEIRA, M. E.; FACCI, M. G. D. (Org.). Psicologia Histórico-Cultural: contribuições para o encontro entre a subjetividade e a educação. São Paulo: Casa do Psicólogo,2007. p. 135-56.

FRANCO, M. L. P. B. Análise de conteúdo. Brasília: Editora Plano, 2003.

FREITAS, M. C. O aluno incluído na educação básica. São Paulo: Cortez, 2013.

GARCIA, R. de A. B. Acessibilidade no ensino superior na perspectiva de alunos com deficiência: contribuições da psicologia escolar a luz da teoria histórico-cultural. Orientadora: Nilza Sanches Tessaro Leonardo. 2016. 149 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia), Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2016. Disponível em: http://repositorio.uem.br:8080/jspui/handle/1/3035. Acesso em: 27 mar. 2020.

GASKELL, G. Entrevistas individuais e grupais. In: BAUER, M. W.; GASKELL, G. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som. Rio de Janeiro: Vozes, 2002. p. 64-89.

GIROTO, C. R. M.; POKER, R. B.; VITTA, F. C. F. 10 anos da Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva em debate: trajetória, limites e desafios. Revista on line de Política e Gestão Educacional, v. 22, n. esp. 2, p. 711-715, dez. 2018. ISSN 1519-9029. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/11968. Acesso em: 27 mar. 2020.

GONÇALVES, A. M. Sinais de escolarização e as repercussões nos projetos de vida: representações sociais de universitários surdos. Orientadora: Ivany Pinto Nascimento. 2016. 253 f. Tese (Doutorado em Educação), Universidade Federal do Pará, Belém, 2016. Disponível em: http://repositorio.ufpa.br:8080/jspui/handle/2011/8425. Acesso em: 27 mar. 2020.

KASSAR, M. C. M; ARRUDA, E. E; BENATTI, M. M. S. Políticas de inclusão: o verso e o reverso de discursos e práticas. In: JESUS, D. M. de et al. (org.). Inclusão, práticas pedagógicas e trajetórias de pesquisa. Porto Alegre: Mediação, 2007. p. 21-31.

LEMONS, C. C. Do direito à educação ao direito à aprendizagem: um estudo sobre culturas de intervenção pedagógica (Caxias do Sul-1988-2013). Orientadora: Nilda Stecanela. 2015. 197 f. Dissertação (Mestrado em Educação), Universidade de Caxias do Sul, Caxias do Sul, 2015. Disponível em: https://repositorio.ucs.br/handle/11338/1095. Acesso em: 27 mar. 2020.

MANTOAN, M. T. E.; BAPTISTA, M. I. S. D. Inovar para fazer acontecer: como estamos fortalecendo redes de apoio à educação inclusiva. Revista on line de Política e Gestão Educacional, v. 22, n. esp. 2, p. 763-777, dez. 2018. ISSN 1519-9029. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/11911. Acesso em: 27 mar. 2020.

MAZZOTTA, M. J. Educação especial no Brasil: história e políticas públicas. 6. ed. São Paulo: Cortez Editora, 2011.

MELO, D. C. F. de; SILVA, J. H. da. As políticas públicas da educação especial e a Fenapaes sob a perspectiva gramsciana. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 11, n. 1, p. 151-164, jan./mar. 2016. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/7639. Acesso em: 23 jan. 2020.

MELO, D. C. F. de; SILVA, J. H. da; CAIADO, K. R. M. Descentralização, municipalização e federalismo na educação especial: o caso da Fenapaes. Educação Unisinos, São Leopoldo, v. 21, n. 3, p. 324-335, set./dez. 2017. Disponível em: http://revistas.unisinos.br/index.php/educacao/article/view/edu.2017.213.06. Acesso em: 23 jan. 2020.

MENDES, H. da S. F. A inclusão da pessoa com deficiência na educação superior: um estudo sobre o acesso, permanência e aprendizagem. Orientadora: Carmen Celia Barradas Correia Bastos. 2015. 121 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Cascavel, 2015. Disponível em: http://tede.unioeste.br/handle/tede/3523. Acesso em: 27 mar. 2020.

MORGADO, L. A. S. Trajetórias acadêmicas de pessoas com deficiência no Ensino Superior. Orientadora: Rosimeire Maria Orlando. 2017. 91f. Dissertação (Mestrado em Educação Especial) - Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2017. Disponível em: https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/9912. Acesso em: 27 mar. 2020.

NUERNBERG, A. H. Contribuições de Vygotski para a educação de pessoas com deficiência visual. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 13, n. 2, p. 307-316, abr./jun. 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-73722008000200013&lng=en&nrm=iso&tlng=pt. Acesso em: 23 jan. 2020.

OLIVEIRA, I. A. de. Política de educação inclusiva nas escolas: trajetória de conflitos. In: JESUS, D. M. de et al. Inclusão, práticas pedagógicas e trajetórias de pesquisa. Porto Alegre: Mediação, 2007. p. 32-40.

ONOHARA, A. M. H.; SANTOS CRUZ, J. A.; MARIANO, M. L. Educação inclusiva: o trabalho pedagógico do professor para com o aluno autista no ensino fundamental I. DOXA: Revista Brasileira de Psicologia e Educação, v. 20, n. 2, p. 289-304, jul./dez. 2018. ISSN 2594-8385. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/doxa/article/view/12020. Acesso em: 27 mar. 2020.

ROSSETTO, E. Sujeitos com deficiência no Ensino Superior: vozes e significados. Orientador: Cláudio Roberto Baptista. 2009. 237f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal do Rio de Grande do Sul, Porto Alegre, 2009. Disponível em: http://hdl.handle.net/10183/21375. Acesso em: 27 mar. 2020.

SCALCON, S. À procura da unidade psicopedagógica: articulando a psicologia histórico-cultural com a pedagogia histórico-crítica. Campinas: Editores Associados, 2002.

SENA, C. P. P. A mediação no processo de construção e representação de conhecimentos em deficientes visuais. Ciências & Cognição, Rio de Janeiro, v. 16, n. 1, p. 035-048, 2011. Disponível em: http://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/373. Acesso em: 23 jan. 2020.

SILVA, J. H. da; MELO, D. C. F. de. Atendimento educacional especializado integral e integrado: análise gramsciana de uma proposta da Fenapaes. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 13, n. 4, p. 1652-1662, out./dez. 2018. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/10644. Acesso em: 23 jan. 2020.

VICTOR, S. L. As contribuições da abordagem histórico-cultural para pesquisas sobre inclusão da criança com deficiência no contexto da escola de educação infantil. In: BAPTISTA, C. R; CAIADO, K. R. M; JESUS, D. M. (Org.). Educação Especial: diálogo e pluralidade, 2010. p. 59-68.

VYGOTSKI, L. S. A formação social da mente. 5. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1994.

VYGOTSKI, L. S. Fundamentos de defectología. Madrid: Visor Distribuciones S.A., 1997. (Obras Escogidas - Tomo V).

VYGOTSKI, L. S. Pensamento e linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 1989.

Publicado

04/03/2020

Como Citar

MELO, D. C. F. de; SILVA, J. H. da. Trajetórias escolares de pessoas com deficiências na educação básica: qual lugar da educação especial?. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 15, n. esp.1, p. 948–965, 2020. DOI: 10.21723/riaee.v15iesp.1.13510. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/13510. Acesso em: 28 fev. 2021.

Edição

Seção

Seção Temática - Educação especial e inclusão: diálogos sobre pesquisa, políticas e práticas