A infância no ensino fundamental obrigatório de nove anos: o que dizem os professores do primeiro ano?

Autores

  • Conceição Gislane Nobrega Lima de Salles Universidade Federal de Pernambuco- Centro Acadêmico do Agreste- Caa/Caruaru
  • Isabelle Sercundes

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v12.n1.8150

Palavras-chave:

Infância. Professores. Ensino Fundamental de Nove Anos.

Resumo

O conceito de infância está incontestavelmente ligado aos diálogos concernentes à educação das crianças. Sensíveis a esse contexto, a pesquisa intitulada: “A infância no ensino fundamental obrigatório de nove anos: o que dizem os professores do primeiro ano?” é resultado da inquietação acerca de como os professores que atuam juntos a estes sujeitos concretos, crianças, estão nomeando, enunciando e compreendendo a infância e a educação das crianças no contexto da educação de nove anos, mais especificamente no primeiro ano das séries iniciais do ensino fundamental. Assim, definimos como objetivo geral compreender os sentidos e significados que configuram os discursos veiculados entre os professores do primeiro ano dos anos iniciais do ensino fundamental, no que diz respeito à Infância. O aspecto definidor de nossa reflexão vale ressaltar, não é a idade cronológica, mas, o que esses discursos enunciam sobre a concepção de criança e infância. Nesse contexto, delimitamos como campo empírico Escolas Municipais da Cidade de Caruaru- PE, nas quais foram selecionadas dez professoras do primeiro ano dos anos iniciais do ensino fundamental. Para compreendermos os diversos sentidos e significados sobre infância apoiamo-nos em uma metodologia de enfoque hermenêutico. Como instrumento de coleta de dados utilizamos entrevistas semi-estruturadas. Em linhas gerais, as análises parciais dos discursos de tais professoras nos indicam que os sentidos e significados atribuídos à infância ainda estão muito ligados à concepção desenvolvimentista, relacionada a uma noção etapista e cronológica de criança e infância. No que diz respeito à proposta de educação para a infância os resultados revelam uma concepção de educação voltada, sobretudo, para a consolidação das metas do ensino fundamental. Além disso, identificamos também, uma preocupação excessiva das instituições educativas com a escolarização precoce que se concretiza na ênfase da leitura e a escrita formal como as principais finalidades e objetivos do 1° ano do Ensino Fundamental, ressaltando o caráter propedêutico e compreendida como um momento fundamental de “investimento” no desenvolvimento da criança.

Biografia do Autor

Conceição Gislane Nobrega Lima de Salles, Universidade Federal de Pernambuco- Centro Acadêmico do Agreste- Caa/Caruaru

Professora do Curso de Pedagogia e do Programa de Pós-graduação em educação contemporânea do Centro Acadêmico do Agreste-UFPE.

Downloads

Publicado

13/01/2017

Como Citar

NOBREGA LIMA DE SALLES, C. G.; SERCUNDES, I. A infância no ensino fundamental obrigatório de nove anos: o que dizem os professores do primeiro ano?. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, p. 479–495, 2017. DOI: 10.21723/riaee.v12.n1.8150. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/8150. Acesso em: 6 mar. 2021.

Edição

Seção

Artigos

Artigos Semelhantes

1 2 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.