Processo histórico e social do sentimento de infância e a realidade da criança brasileira

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v12.n4.out./dez.2017.8760

Palavras-chave:

Infância. Cuidado. Direitos.

Resumo

O cuidado com crianças e adolescentes tem se apresentado como um movimento que é fruto de anos de luta e conscientização. No Brasil essa luta ainda é constante, especialmente no que se refere ao cuidado com a criança em desvantagem social, pois esta, além das dificuldades provenientes do fato de ser criança, enfrenta também as de diferença de classe. A pesquisa bibliográfica de abordagem dialética tem como objetivo compreender por meio de um estudo histórico, que se restringiu aos séculos XIX e XX, o desenvolvimento do sentimento de infância na realidade brasileira e o desenrolar desse sentimento e do reconhecimento de direitos de crianças e adolescentes até os dias atuais. Pretende ainda perceber em que medida o alcance desses direitos é realmente universal ou se destina apenas a parte dessa população. Apesar dos avanços alcançados em relação ao reconhecimento de direitos de crianças e adolescentes, muito ainda é preciso ser feito, especialmente no que diz respeito à criança em desvantagem social.

Biografia do Autor

Ione da Silva Cunha Nogueira, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Profª Adjunta do Curso de Pedagogia - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campus de Três Lagoas

Referências

ARIÈS, P. História social da criança e da família. RJ: LTC, 1981.

DEL PRIORE, M. Apresentação In: DEL PRIORE, M. (Org.). História das crianças no Brasil. SP: Contexto, 2000a.

DEL PRIORE, M. O cotidiano da criança livre no Brasil entre a Colônia e o Império. In: DEL PRIORE, M. (Org.). História das crianças no Brasil. SP: Contexto, 2000b.

ELIAS, N. O Processo Civilizador: uma história dos costumes. 2ª ed. RJ: Jorge Zahar, 1994. Vol. 1.

HEYWOOD, C. Uma história da infância. Porto Alegre: Artmed, 2004.

KRAMER, S. A Política do pré-escolar no Brasil: a arte do disfarce. 5. ed, - São Paulo: Cortez, 1995.

MARCÍLIO, M. L. História Social da Criança Abandonada. SP: Hucitec, 1998.

MOURA, E. B. Crianças operárias na recém-industrializada São Paulo. In: DEL PRIORE, M. (Org.). História das crianças no Brasil. SP: Contexto, 2000.

POSTMAN, N. O desaparecimento da infância. RJ: Graphia, 1999.

RAMOS, F. P. A história trágico-marítima das crianças nas embarcações portuguesas do século XVI. In: DEL PRIORE, M. (Org.). História das crianças no Brasil. SP: Contexto, 2000.

RIZZINI, Irene. O século perdido – Raízes históricas das Políticas Públicas para a Infância no Brasil. 2ª Ed. São Paulo: Cortez, 2008.

ROCHA, L. C. da. Há algo de degenerado no reino da sociedade industrial moderna. In: MERISSE, A. et al. Lugares de infância: reflexões sobre a história da criança na fábrica, creche e orfanato. São Paulo: Arte & Ciência, 1997.

SCARANO, J. Criança esquecida das Minas Gerais. In: DEL PRIORE, M. (Org.). História das crianças no Brasil. SP: Contexto, 2000.

SULZBACH, L. (Direção). A Invenção da infância. Disponível em

https://www.youtube.com/watch?v=TGokX10UfOo. Acesso em: 01 ago. 2015.

VENÂNCIO, R. P. Famílias abandonadas: assistência à criança das camadas populares no Rio de Janeiro e em Salvador – séculos XVIII e XIX. Campinas: Papirus, 1999.

VENÂNCIO, R. P. Os aprendizes da guerra. In: DEL PRIORE, M. (Org.). História das crianças no Brasil. SP: Contexto, 2000.

Downloads

Publicado

15/10/2017

Como Citar

NOGUEIRA, I. da S. C. Processo histórico e social do sentimento de infância e a realidade da criança brasileira. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 12, n. 4, p. 2024–2043, 2017. DOI: 10.21723/riaee.v12.n4.out./dez.2017.8760. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/8760. Acesso em: 4 mar. 2021.

Edição

Seção

Artigos