Brincar com a linguagem: educação infantil “rima” com alfabetização?

Autores

  • Liane Castro de Araujo Universidade Federal da Bahia Departamento de Educação II - Faculdade de Educação

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v11.n.esp4.9196

Palavras-chave:

Educação infantil. Alfabetização. Letramento. Linguagem.

Resumo

O contexto atual de ampliação do sistema educacional para o segmento da Educação Infantil e de estabelecimento de metas de alfabetização até os 8 anos de idade justifica discutirmos sobre o papel que teria a Educação Infantil na alfabetização e no letramento. Ressalta-se a importância de situações significativas de leitura e escrita que garantam, na escola, a participação das crianças pequenas em práticas sociodiscursivas e, ao mesmo tempo, assegurem os seus modos próprios de aprender, que envolvem as interações e o brincar como princípios e como eixos do trabalho pedagógico. Reconhecendo o papel da Educação Infantil no letramento das crianças pequenas e enfatizando as práticas de leitura e escrita como interlocução, o presente ensaio pretende contribuir com a discussão sobre o papel desse segmento no processo específico de alfabetização, a partir de situações significativas de reflexão sobre a língua, especialmente sobre sua dimensão sonora, em contextos lúdicos e/ou letrados, envolvendo brincadeiras com a linguagem. Destacam-se aí as brincadeiras com os textos da tradição oral, presentes na escola como cultura lúdica, mas igualmente privilegiados para brincar com as sonoridades da língua e seus ajustes em relação à escrita, favorecendo o processo de apropriação da notação alfabética.

Biografia do Autor

Liane Castro de Araujo, Universidade Federal da Bahia Departamento de Educação II - Faculdade de Educação

Professora Adjunta do Departamento II - Faculdade de Educação

Doutora em Educação

 

Downloads

Publicado

30/12/2016

Como Citar

ARAUJO, L. C. de. Brincar com a linguagem: educação infantil “rima” com alfabetização?. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, p. 2325–2343, 2016. DOI: 10.21723/riaee.v11.n.esp4.9196. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/9196. Acesso em: 28 fev. 2021.