“Novo ensino médio: quem conhece aprova!” Aprova?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v13.n2.2018.11469

Palavras-chave:

Ensino médio, Políticas públicas, Organização curricular.

Resumo

As recentes mudanças ocorridas no EM - Enisno Médio - foram polêmicas e geraram uma série de críticas de especialistas e representações de entidades públicas que rejeitaram, tanto o formato impositivo da proposta – por meio da MP nº 746/2016, quanto o conteúdo que modifica a estrutura e o funcionamento do atual EM. No mesmo caminho, alunos e pais também protestaram contra estas mudanças. O governo, porém, ao lançar um slogan em rede nacional “Novo Ensino Médio, quem conhece aprova!”, desconsiderou as discussões realizadas a partir do movimento que tem o EM como questão principal, discutido há muito tempo. A anulação das opiniões e posicionamentos de intelectuais, entidades, movimentos etc, que dedicam-se a investigar/analisar/contribuir/efetivar uma educação de qualidade para a última etapa da educação básica, nos permite problematizar estes acontecimentos, questionando, portanto, o slogan lançado pelo governo, afirmando, inclusive, que há quem conheça esse novo EM e que, ainda assim, não o aprove.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Shirlei de Souza Corrêa, Universidade do Vale do Itajaí – UNIVALI

Professora do curso de Pedagogia – Faculdade de Educação

Sandra Regina de Oliveira Garcia, Universidade Estadual de Londrina – UEL

Professora do Programa de Mestrado e Doutorado em Educação

Referências

ALCÂNTARA, H. S. A implementação e a operacionalização do programa ensino médio inovador em três escolas da rede estadual de ensino de Manaus. 2015. 142f. Dissertação (Mestrado profissional) - Universidade Federal de Juiz de Fora, Faculdade de Educação/CAEd. Programa de Pós-graduação em Gestão e Avaliação da Educação Pública.

BRASIL. Lei nº 13415, de 16 de fevereiro de 2017. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/Lei/L13415.htm. Acesso em: 03 fev. 2018.

BRASIL. Fórum Nacional de Educação. 45ª Nota Pública Sobre a Medida Provisória relativa ao ensino médio. Disponível em: http://contee.org.br/contee/index.php/2016/09/fne-divulga-nota-contra-a-mp-do-ensino-medio/. Acesso em: 13 fev. 2017.

BRANDÃO, C. F. O Ensino Médio no contexto do Plano Nacional de Educação: o que ainda precisa ser feito. Cad. Cedes, Campinas, vol. 31, n. 84, p. 195-208, maio-ago. 2011.

CASTILHO, D. Reforma do Ensino Médio: desmonte na educação e inércia do enfrentamento retórico. Disponível em: http://www.pragmatismopolitico.com.br/2017/02/reforma-do-ensino-medio-desmonte-educacao-inercia.html. Acesso em: 12 maio 2017.

CAVALIERI, A. M. Escola pública de tempo integral no Brasil: filantropia ou política de estado? Educ. Soc., Campinas, v. 35, nº. 129, p. 1205-1222, out./dez., 2014.

FERREIRA, S. R. Financiamento da educação como indutor de política curricular: análise a partir da implantação do programa ensino médio inovador no Paraná. 2015. 149f. Dissertação (Mestrado em Educação.) – Universidade Federal do Paraná, Faculdade de Educação, Curitiba, 2015.

FREITAS, L. C. Os reformadores empresariais da educação e a disputa pelo controle do processo pedagógico na escola. Educ. Soc., Campinas, v. 35, nº. 129, p. 1085-1114, out./dez., 2014.

FRIGOTTO, G. A reforma do Ensino Médio do (des)governo Temer. Disponível em: http://www.anped.org.br/news/reforma-de-ensino-medio-do-des-governo-de-turno-decreta-se-uma-escola-para-os-ricos-e-outra. Acesso em: 30 jan. 2018.

GRIKE, F. Concepções de interdisciplinaridade: o programa ensino médio inovador. 2016. 106f. Dissertação (Mestrado em Educação.) – Universidade Federal do Paraná, Faculdade de Educação.

MONTEIRO, J. de S.; SILVA, D. P. da. A influência da estrutura escolar no processo de ensino-aprendizagem: uma análise baseada nas experiências do estágio supervisionado em Geografia. Ensino & Pesquisa, v. 19, n.3, p. 19-28, set./dez. 2015.

MOLL, J. O PNE e a educação integral: desafios da escola de tempo completo e formação integral. Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 8, n. 15, p. 369-381, jul./dez.

ORTIZ, R. Mundialização: saberes e crenças. São Paulo: Editora Brasiliense, 2006.

PACHECO, J. A. Discursos e Lugares das competências em contextos de educação e formação. Porto: Editora Porto, 2011.

PINTO, J. M. de R. O Ensino Médio. In: OLIVEIRA, R. P.; ADRIÃO, T. (Org.). Organização do Ensino no Brasil. 1 ed. São Paulo: Xamã, 2002.p 51­76.

SÃO PAULO. Conselho Estadual de Educação de São Paulo. Nota em favor ao novo projeto de Ensino Médio.

SANTOS, R. R. dos. Breve histórico do Ensino Médio no Brasil. Disponível em: http://www.emdialogo.uff.br/sites/default/files/breve_historico_do_ensino_medio_no_brasil.pdf. Acesso em: 20 fev. 2018.

SAVIANI, D. Palestra: a última do "Ensino Médio". Evento: Contrarreformas Neoliberais e os caminhos da Esquerda. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=TnpnRq21Iuc. Acesso em: 15 fev. 2018.

SILVA, M. R. Políticas educacionais para o Ensino Médio e sua gestão no Brasil contemporâneo. Entrevista. Dialogia, São Paulo, n. 23, p. 17-29, jan./jun. 2016.

SILVA, M. R.; KRAWCZYK, N. Pesquisadoras “conversam” com PL 6.840 de reforma do Ensino Médio. Carta Capital na Escola. Opinião. Edição de 21 de julho de 2015.

ZOTTI, S. A. Sociedade, educação e currículo no Brasil: dos jesuítas aos anos 1980. Quaestio. Revista de Estudos da Educação. Ano 4, n° 02, novembro de 2009.

Publicado

05/03/2018

Como Citar

CORRÊA, S. de S.; GARCIA, S. R. de O. “Novo ensino médio: quem conhece aprova!” Aprova?. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 13, n. 3, p. 604–622, 2018. DOI: 10.21723/riaee.v13.n2.2018.11469. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/11469. Acesso em: 18 abr. 2021.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)