A prioridade ontológica dos conteúdos escolares

Rafael Rossi, Aline Santana Rossi

Resumo


Com o presente texto problematizamos a relação entre conteúdos escolares e formas de ensino, sem supervalorizar unilateralmente um em detrimento do outro. Para tanto, partimos da abordagem histórica e ontológica para entender o processo de desenvolvimento e de formação humana, com objetivo de apreender a especificidade da educação. A partir destes entendimentos, consideramos que, de um ponto de vista preocupado com as autênticas necessidades humano-genéricas, os conteúdos escolares possuem a prioridade ontológica na prática educativa e se relacionam dialeticamente com as formas de ensino. Isto significa que a educação escolar deve estar comprometida com a promoção crítica, científica, artística e filosófica dos alunos, para além da imediaticidade do cotidiano em que se encontram.

Palavras-chave


Conteúdos escolares; Formas de ensino; Educação escolar; Professor.

Texto completo:

PDF/A

Referências


DUARTE, N. Vigotski e o “aprender a aprender”: crítica às apropriações neoliberais e pós-modernas da teoria vigotskiana. 5. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2011.

DUARTE, N. Os Conteúdos escolares e a ressurreição dos mortos: contribuição à teoria histórico-crítica do currículo. Campinas, SP: Autores Associados, 2016.

LUKÁCS, G. Para uma ontologia do ser social – I. São Paulo: Boitempo: 2012.

LUKÁCS, G. Para uma ontologia do ser social – II. São Paulo: Boitempo: 2013.

SAVIANI, D. Escola e democracia. Campinas, SP: Autores Associados, 2008.




DOI: https://doi.org/10.21723/riaee.v15i4.12604



Direitos autorais 2020 Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação

 

Rev. Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1982-5587

DOI Prefix: 10.21723/riaee

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.