O programa institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID) como fundante na práxis pedagógica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v16i2.13497

Palavras-chave:

Geografia, Formação, Docência, Universidade, Escola

Resumo

A articulação teoria e prática ocorre no momento em que o futuro professor dispõe tanto de um contato com a realidade das escolas como de embasamentos teóricos que possibilitem reflexões que resultarão em atitudes críticas frente a essa realidade, ou seja, refletir sobre as ações de seu cotidiano permite a sua reelaboração e compreensão por meio de uma situação concreta. Assim, objetiva analisar o Programa Institucional de Bolsa e Iniciação à Docência - PIBID como fundante na articulação entre teoria e prática para que nas licenciaturas, especialmente em geografia, não sejam separadas e distantes da realidade, mas práxis pedagógicas na formação de professores. Com toda a contradição das políticas e reformas para educação no Brasil, o PIBID, ao ser inserido nas licenciaturas, contribuía na articulação entre universidade e escola na transformação dos sujeitos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Raimunda Aurea Dias de Sousa, Universidade de Pernambuco (UPE), Petrolina – PE

Docente Associada, vinculada ao Programa de Pós-Graduação em Formação de Professores e Práticas Interdisciplinares (PPGFPPI) e ao Colegiado de Geografia. Doutorado em Geografia (UFS).

Francielma de Souza Gomes, Universidade de Pernambuco (UPE), Petrolina – PE

Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Formação de Professores e Práticas Interdisciplinares (PPGFPPI).

Referências

BRASIL. Decreto n. 7.219, de 24 de junho de 2010. Dispõe sobre o Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência - PIBID e dá outras providências. Brasília, 25 jun. 2010. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/decreto/d7219.htm. Acesso em: 23 fev. 2019.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União: Seção 1, Brasília, DF, n. 248, p. 27833, 23 dez. 1996.

BRASIL. Ministério da Educação. Resolução CNE/CP n. 2, de 1 de julho de 2015. Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação de professores da educação básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Brasília, DF: MEC, 2 jul. 2015. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/agosto-2017-pdf/70431-res-cne-cp-002-03072015-pdf/file. Acesso em: ago. 2019.

BRASIL. Plano Nacional de Educação. 2014. Disponível em: http://pne.mec.gov.br/18-planos-subnacionais-de-educacao/543-plano-nacional-de-educacao-lei-n-13-005-2014. Acesso em: 10 set. 2019.

CALDERIA, A. M. S.; ZAIDAN, S. Praxis pedagógica: um desafio cotidiano. Paidéia, Belo Horizonte, ano 10, n. 14, p. 15-32, jan./jun. 2013.

CALLAI, H. C. O ensino de geografia: recortes espaciais para análise. In: CASTROGIOVANNI, A. C.; CALLAI, H. C.; SCHÄFFER, N. O.; KAERCHER, N. A. (Org.). Geografia em sala de aula: práticas e reflexões. 4. ed. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2003.

CARVALHO, L. S. Pibid de geografia na universidade federal de goiás: proposta e experiências formativas. Orientadora: Lana Souza Cavalcanti. 2016. 160 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Universidade Federal de Goiás, Jataí, 2016. Disponível em: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/6098. Acesso em: 23 fev. 2019.

CASTROGIOVANNI, A. C. O misterioso mundo que os mapas escondem. In: CASTROGIOVANNI, A. C.; CALLAI, H. C.; SCHÄFFER, N. O.; KAERCHER, N. A. (Org.). Geografia em sala de aula: práticas e reflexões. 4. ed. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2003.

CAVALCANTE, L. S. Geografia, escola e construção de conhecimento.18. ed. Campinas-SP: Papirus, 2014. p. 24.

CORRÊIA FILHO, J. J. Aula de campo: como planejar, conduzir e avaliar? Petropólis-RJ: Vozes, 2015.

GATTI, B. A. Formação de professores no Brasil: características e problemas. Educ. Soc., Campinas, v. 31, n. 113, p. 1355-1379, out./dez. 2010. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0101-73302010000400016

KAERCHER, N. A. A geografia é o nosso dia-a-dia. In: CASTROGIOVANNI, A. C.; CALLAI, H. C.; SCHÄFFER, N. O.; KAERCHER, N. A. (Org.). Geografia em sala de aula: práticas e reflexões. 4. ed. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2003b.

KAERCHER, N. A. Desafios e utopias no ensino de geografia. In: CASTROGIOVANNI, A. C.; CALLAI, H. C.; SCHÄFFER, N. O.; KAERCHER, N. A. (Org.). Geografia em sala de aula: práticas e reflexões. 4. ed. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2003a.

KAERCHER, N. A. O Gato Comeu a Geografia Crítica? Alguns obstáculos a superar no ensino-aprendizagem de geografia. In: PONTUSCHKA, Nidia Nacib; OLIVEIRA, Ariovaldo Umbelino de. (Org.). Geografia em perspectiva: ensino e pesquisa. São Paulo: Contexto, 2004.

KAERCHER, N. A. Se a Geografia escolar é um pastel de vento o gato come a geografia crítica. Porto Alegre-RS: Evangraf, 2014.

LESSA, S.; TONE, I. Introdução à filosofia de Marx. São Paulo: Expressão Popular, 2011. p. 17.

LUCKESI, C. C. Filosofia da educação. São Paulo. Editora Cortez, 1994, p. 109-120.

MÉSZÁROS, I. A educação para além do capital. 2 ed. São Paulo: Biotempo, 2008, p. 25.

NETTO, J. P. Introdução ao método na teoria Social. In: Serviço social: direitos sociais e competências profissionais. Brasília: CFESS/Abepss, 2011.

ORSO, P. J. et al. Educação e luta de classe. São Paulo: Expressão popular, 2013.

OUSA NETO, M. F. Aula de geografia. Campina Grande: Bagagem, 2008.

PEREIRA, J. E. D. Formação de professores: pesquisas, representações e poder. Belo Horizonte: Autêntica, 2000. 168 p.

Downloads

Publicado

01/02/2021

Como Citar

SOUSA, R. A. D. de; GOMES, F. de S. O programa institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID) como fundante na práxis pedagógica. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 16, n. 2, p. 481–507, 2021. DOI: 10.21723/riaee.v16i2.13497. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/13497. Acesso em: 12 maio. 2021.