A educação integral na produção acadêmica de teses e dissertações em educação (2010-2015)

Autores

  • Marcelo Innocentini Hayashi UNESP - Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”. Faculdade de Ciências e Letras. Araraquara – SP
  • Maria Teresa Miceli Kerbauy UNESP – Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”. Faculdade de Ciências e Letras – Departamento de Antropologia, Política e Filosofia - Pós-Graduação em Educação Escolar. Araraquara – SP

DOI:

https://doi.org/10.21723/RIAEE.v11.n2.p836

Palavras-chave:

Educação integral. Políticas públicas de educação. Produção científica.

Resumo

O artigo traça um panorama histórico do ideário de educação integral e das políticas públicas que adotaram essa perspectiva e analisa a produção científica sobre essa temática desenvolvida em programas de pós-graduação de educação do país no período entre 2010 e 2015 e indexada em bancos de dados de teses e dissertações. Os resultados obtidos demonstraram que o conceito de educação integral tem origem na Antiguidade grega chegando até os dias atuais. No Brasil, a educação integral se efetiva enquanto política pública de educação a partir da década de 1990, embora tenham existido experiências anteriores desde os anos 1960. O mapeamento da produção científica apresentou um perfil da pesquisa acadêmica sobre a educação integral expressa nas dissertações e teses analisadas, e os resultados obtidos mostraram o impacto das políticas públicas de educação integral na pesquisa acadêmica. A maioria dos trabalhos eram estudos de caso sobre políticas públicas municipais e/ou estaduais de educação integral, prevalecendo análises de experiências implantadas em Minas Gerais, São Paulo, Goiás e Rio Grande do Sul.

Biografia do Autor

Marcelo Innocentini Hayashi, UNESP - Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”. Faculdade de Ciências e Letras. Araraquara – SP

Graduando em Ciências Sociais.

Downloads

Publicado

06/07/2016

Como Citar

HAYASHI, M. I.; KERBAUY, M. T. M. A educação integral na produção acadêmica de teses e dissertações em educação (2010-2015). Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 11, n. 2, p. 836–854, 2016. DOI: 10.21723/RIAEE.v11.n2.p836. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/8367. Acesso em: 2 mar. 2021.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)