Para uma avaliação emancipadora: a mediação pelo diálogo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v15i3.13808

Palavras-chave:

Projeto, Avaliação, Ensino básico.

Resumo

Desenvolver uma educação libertadora é reconhecer que o conhecimento é um processo de descoberta coletiva, mediada pelo diálogo entre professor e aluno. Educar numa perspetiva libertadora pressupõe atender à singularidade de cada aluno, num processo de desenvolvimento curricular em que a avaliação assume uma função formadora. Apresentamos um estudo, de natureza qualitativa, desenvolvido num agrupamento de escolas, localizado na zona Norte de Portugal, tendo como principais objetivos avaliar os efeitos de um projeto de combate ao insucesso escolar, no ensino básico; e conhecer as dinâmicas que, na opinião dos professores, contribuíram para o sucesso do projeto. O instrumento de recolha de dados foi a entrevista semiestruturada, tendo sido realizadas a 10 professores que desempenharam cargos de coordenação durante a duração do projeto. Os dados foram analisados com recurso à análise de conteúdo. Os resultados salientam, o sucesso do projeto deveu-se, sobretudo, às dinâmicas de cooperação dos encarregados de educação com a escola. Revelou-se importante consolidar a flexibilização curricular, que permita atender ao aluno de forma a que ocupe a centralidade no processo de desenvolvimento do currículo; e fomentar o diálogo entre professor e aluno, nomeadamente, através de mecanismos de feedback, traçando um percurso de avaliação reflexivo e emancipador.

Referências

ALVES, M. P. Currículo e avaliação: uma perspectiva integrada. Porto: Porto Editora, 2004.

ALVES, M. P; AGUIAR, M.; OLIVEIRA, S. Avaliação no ensino superior: Resultados de uma investigação no domínio das ciências da saúde. In: FERNANDES, D. et al., (Orgs.). Avaliação, ensino e aprendizagem no ensino superior em Portugal e no Brasil: realidades e perspetivas. Volume 2. Lisboa: Educa, 2014. p. 523-562.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2009.

BELL, J. Como realizar um projeto de investigação. Lisboa: Gradiva, 2002.

BOGDAN, R.; BIKLEN, S. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos . Porto: Porto Editora, 1994.

FERNANDES, D. Para uma teoria da avaliação formativa. Revista Portuguesa de Educação, CIEd - Universidade do Minho, v. 19, n. 2, p. 21-50, 2006. Disponível em: www.scielo.oces.mctes.pt/pdf/rpe/v19n2/v19n2a03.pdf. Acesso em: 3 jun. 2013.

LOPES, J.; SILVA, H. Técnicas de avaliação formativa. Lisboa : Edições LIDEL, 2012.

MACHADO, E. Educação que vem entre a performatividade e a esperança. Santo Tirso: whitebooks, 2016.

MARCHESI, A.; GIL, C. Fracasso escolar: uma perspetiva multicultural. Porto Alegre: Artmed, 2004

PINTO, J.; SANTOS, L. Modelos de avaliação das aprendizagens. Lisboa: Universidade Aberta, 2006.

PERRENOUD, P. A pedagogia na escola das diferenças. fragmentos de uma sociologia do fracasso. Porto Alegre: Artmed Editora, 2001.

Roldão, M.,(2013) Desenvolvimento do currículo e a melhoria de processos e resultados. In: ALVES, M. et al., (Orgs.). Melhorar a Escola, sucesso escolar, disciplina, motivação, direção de escolas e politicas educativas. Porto: Faculdade de Educação e Psicologia da Universidade Católica:, 2013.

SANTOS, T.; ALVES, M. P.Avaliação como controle do estudo: perspetiva dos alunos. In: VEIGA, F. (Coord.) CONGRESSO INTERNACIONAL ENVOLVIMENTO DOS ALUNOS NA ESCOLA: perspetivas da psicologia e educação motivação para o desempenho académico, 2., 2016, Lisboa. Anais [...]. Lisboa: Instituto de Educação da Universidade de Lisboa, 2016. ISBN: 978-989-8753-35-9.

SIMÃO, A. Reforçar o valor regulador formativo e formador da avaliação das aprendizagens. In: ALVES, M. P.; MACHADO, E. A. Avaliação com sentido (s). Contributos e questionamentos. Santo Tirso: De Facto Editores, 2008.

VIEIRA, C. Relação escola-família: uma educação participada. In: PINTO, C. A.; TEIXEIRA, M. (Orgs.). Pais e escola: parceria para o sucesso. Porto: Edições ISET, 2003. p. 291-315.

Publicado

20/02/2020

Como Citar

Santos, T. de J. C. P. dos, & Alves, M. P. (2020). Para uma avaliação emancipadora: a mediação pelo diálogo. Revista Ibero-Americana De Estudos Em Educação, 15(3), 1374–1388. https://doi.org/10.21723/riaee.v15i3.13808