A relação escola-família e a organização do trabalho pedagógico na educação infantil

Gilmara Lupion Moreno

Resumo


A temática em questão justifica-se em razão da importância da relação professor-escola-família na educação da criança pequena e das constantes mudanças históricas, sociais, econômicas e culturais vivenciadas pelas duas instituições (escola e família) na atualidade. Desse modo, busca-se, num primeiro momento, dialogar com diferentes autores sobre a relevância da relação escola-família na educação infantil. Num segundo momento, com o intuito de colaborar com os gestores e professores dessa etapa da educação básica, o texto apresenta algumas possibilidades para o trabalho com as crianças sobre o tema família, e com as famílias no cotidiano das instituições de educação infantil. Espera-se com esse artigo dar visibilidade às diferentes formas para o trabalho com as famílias, e destacar a necessidade da escola manter seus conhecimentos atualizados sobre as crianças e suas famílias.


Palavras-chave


Escola; Família; Educação infantil.

Texto completo:

PDF PDF (Español (España)) XML

Referências


BARBOSA, S. O que você esta escrevendo? na pesquisa com criança o exercício de compreender e ser compreendido. In: KRAMER, S. Retrato de um desafio: crianças e adultos na educação infantil. São Paulo: Ática, 2009.

BASSEDAS, E.; HUGUET, T.; SOLÉ, I. Família e escola. In: BASSEDAS, E.; HUGUET, T.; SOLÉ, I. Aprender e ensinar na educação infantil. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 1999. p. 281-301.

BHERING, E.; SIRAJ-BLATCHFORD, I. A relação escola-pais: um modelo de trocas e colaboração. Cadernos de Pesquisa, Campinas, n. 106, mar,. 1999.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.htm. Acesso em: 01 set. 2016.

BRASIL. Lei n. 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ ccivil_03/leis/l8069.htm. Acesso em: 15 ago. 2012.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da

educação nacional. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/l9394.htm. Acesso em: 15 ago. 2012.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental.

Referencial curricular nacional para a educação infantil. Brasília, 1998. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/rcnei_vol1.pdf. Acesso em: 15 ago. 2012.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Resolução n. 5, de 17 de dezembro de 2009. Fixa as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=2298-rceb005-09&category_slug=dezembro-2009-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 27 mar. 2017.

CARVALHO, M. E. P. de. Modos de educação, gênero e relações escola-família. Cadernos de Pesquisa, Campinas, v. 34, n. 121, jan./abr., 2004.

CORSARO, William A. A reprodução interpretativa do brincar ao “faz-de-conta” das crianças. Educação, Sociedade & Cultura, n.17, 2002, p.113-134.

EDWARDS, C.; GANDINI, L.; FORMAN, G. As cem linguagens da criança: a abordagem de Reggio Emilia na educação da primeira infância. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 1999.

MARTINS, E.; SZYMANSKI, H. Brincando de casinha: significado de família para crianças institucionalizadas. Estudos de Psicologia, Natal, v. 9, n. 1, p. 177-187, 2004.

MELLO, A. M. Um diálogo com os diretores de creches e pré-escolas. In: ROSSETTIFERREIRA, M. C. et al. Os fazeres na educação infantil. 2 ed. São Paulo: Cortez, 2000.

NICOLAU, M. L. M. Avaliação escolar. In: CLEBSCH, J. Educação 2009: as mais importantes tendências na visão dos mais importantes educadores. Curitiba: Multiverso, 2009.

NICOLAU, M. L. M. Escolarização e socialização na educação infantil. Acta Scientiarum, Maringá, v. 22, n. 1, p. 119-125, 2000.

SAMBRANO, T. M. Relação instituição de educação infantil e família: um sonho acalentado, um vínculo necessário. In: ANGOTTI, M. (Org.). Educação Infantil: para quê, para quem e por quê? Campinas: Editora Alínea, 2006.

SAYÃO, R.; AQUINO, J. G. Família: modos de usar. Campinas: Papirus, 2006.

SILVEIRA, L. M. O. B. A interação família-escola frente aos problemas de comportamento da criança: uma parceria possível? 2007. 109 f. Tese (Doutorado em Psicologia) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2007.

SPODEK, B.; SARACHO, O. N. Trabalhando com os pais. In: SPODEK, B.; SARACHO, O. N. Ensinando crianças de três a oito anos. Porto Alegre: Artmed, 1998.

VASQUES et al. O envolvimento das famílias: uma trajetória de descobertas e conquistas compartilhadas. In: KISHIMOTO, T. M. (Org). Narrativas das professoras em contexto colaborativo. São Paulo: Pontão de Cultura/Ministério da Cultura/FEUSP, 2015.

ZILBERMAN, R. A criança, o livro e a escola. In: ZILBERMAN, R. A literatura infantil na escola. 6. ed. São Paulo: Global Ed., 1987. p. 11-32.




DOI: https://doi.org/10.21723/riaee.v13.n3.2018.9778



Direitos autorais 2018 Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação

 

Rev. Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1982-5587

DOI Prefix: 10.21723/riaee

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.