Aluno aprendiz em educação a distância: material didático e avaliação

Evaneide Dourado Martins, Neudiane Moreira Felix

Resumo


O presente artigo objetiva mostrar o comportamento da aprendizagem no ensino presencial e a percepção dos professores em relação às suas aulas. Faz-se também menção que assim como há a preocupação de utilizar uma didática inovadora, motivadora e criativa no ensino presencial, no ensino a distância acontece da mesma forma. A lógica que guia essa investigação se deu porque no ensino a distância o aluno está separado fisicamente do professor, mas tem diante dele o material didático. No entanto o foco está na realização do material didático de qualidade, elaborado de forma clara, objetiva e de fácil compreensão, servindo de guia para o estudante obter conhecimento de forma satisfatória e se tornar um cidadão mais crítico. As instituições de ensino utilizam de várias formas de avaliação seja no ensino presencial ou a distância, porém é apresentado os tipos de avaliações utilizadas e como cada uma delas podem contribuir para o ensino-aprendizagem.

Palavras-chave


Ensino presencial. Educação a distância. Avaliação.

Texto completo:

PDF

Referências


BLOOM, B. S.; HASTINGS, J. T.; MADAUS, G F. Manual de avaliação formativa e somativa do aprendizado escolar. São Paulo: Pioneira Editora, 1983.

BRASIL. Ministério de Educação. Secretaria da Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: introdução aos parâmetros curriculares nacionais. Brasília: MEC/ SEF, 1997.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação: Lei nº 9.394/96 – 24 de dez. 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, 1998.

CABEDA, M. O chat-fórum: uma ideia de uso híbrido, síncrono e assíncrono, através de uma única ferramenta normalmente assíncrona, o fórum virtual. In: Proceedings of Congresso Internacional de Educação à Distância. 2005. p. 18-22.

CERNY, R. Avaliação da aprendizagem como processo de comunicação na educação a distância. In: BELLONI, Maria Luiza (org.). A formação na sociedade do espetáculo. São Paulo: Edições Loyola, 2002, p. 135 – 150.

FREIRE, P. Política e educação. São Paulo: Cortez, 1997.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 1.ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra 1997.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

INFORSATO, E. do C. O bacharelismo e a crise permanente da formação de professores. Revista on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, v. 20, n.3, p. 432-443, 2016.

LAHAM, S. A.; LEMES, S. de S. Um estudo sobre as possíveis causas de evasão em curso de Licenciatura em Pedagogia a distância. Revista on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, v.20, n.3, p. 405-431, 2016.

LIBÂNEO, L. C. Didática. São Paulo: Cortez, 1994 (Coleção Magistério – Série formação do professor).

LUCKESI, C. C. Avaliação da aprendizagem escolar: estudos e proposições. 14 ed. São Paulo: Cortez, 2002.

MALTA, L. R. S. S. Manual do revisor. São Paulo: WVC, 2000.

MENEZES, L.; LOGAREZZI, A. J. M. A questão do material didático de matemática na educação de pessoas jovens e adultas no Brasil. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 2, n. 2, 2007.

MORAN, J. M. O que é educação a distância. São Paulo, 2002

NEDER, M. L. C. Avaliação na educação a distância significações para definição de percursos. NEAD-UFMT, 1996. Cuiabá.

PRETI, O. Autonomia do Aprendiz na educação a distância; significados e dimensões. In: PRETI, Oreste. (org). Educação a Distância: construindo significados. Cuiabá:NEAD/IE-UFMT; Brasília: Plano, 2000, p. 125-146.

ROWNTREE, D. Teaching Through Self-Instruction: How to Develop Open Learning Material. London: Kogan Pge, 1996.

ROZENFELD, C. C. de F.; VELOSO, F. S. A comunicação em fóruns de um curso a distancia de formação de professores para o uso de TDICS: análise da presença de ensino. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 9, n. 3, 2014.

SILVA, A. L. da.; LEMES, S. de S. Uma discussão com vistas ao desenvolvimento de um sistema on line de avaliação do desempenho escolar – um estudo experimental sobre avaliação de desempenho escolar em rede. Revista on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, v. 20, n. 2, p. 271-281, 2016.

VASCONCELOS, C. S. Aula expositiva: ainda existe espaço para ela? São Paulo: Libertad, 2002.




DOI: https://doi.org/10.22633/rpge.v21.n.esp1.out.2017.9899



Rev. on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1519-9029

DOI prefix: 10.22633/rpge

Licença Creative Commons 

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.