“Eu sou professor por decisão, porque eu gosto, porque é minha vida!” Paixão, identidade e formação na docência masculina

Josiane Peres Gonçalves

Resumo


Este estudo versa sobre o trabalho de professores homens que escolheram o magistério como principal profissão e tem por finalidade identificar o perfil profissional ou características relevantes desses professores para o bom desempenho da função docente. A pesquisa, de natureza qualitativa, foi realizada por meio de gravação de entrevistas com cinco docentes do gênero masculino paranaenses, cujos principais resultados indicam que: todos os professores demonstravam paixão pela profissão escolhida; eles conseguiram construir uma identidade profissional própria, a ponto de desenvolver as suas atividades da maneira particular, e investiam sempre em sua formação profissional. Tais dados sugerem que é importante gostar do que faz, ser sujeito da construção identitária e se manter atualizado, mediante o processo de formação profissional, a fim de que seja possível desempenhar com qualidade a função docente.


Palavras-chave


Docência; Identidade; Formação profissional.

Texto completo:

PDF

Referências


BRAGA, Lourdes Aparecida Machado; BEZERRA, Giovani Ferreira; GONÇALVES, Josiane Peres. A(s) identidade(s) do professor de educação infantil: itinerários de formação. Educação Pública, Cuiabá, v. 27, n. 64, p. 41-63, jan./abr. 2018.

BRAGANÇA, Inês Ferreira de Souza. Sobre o conceito de formação na abordagem (auto) biográfica. Educação, Porto Alegre, v. 34, n. 2, p. 157-164, maio/ago. 2011.

DUARTE, Rosália. Entrevistas em pesquisas qualitativas. Educar em Revista, Curitiba, n. 24, p. 213-225, dez. 2004.

FELDEN PEREIRA, Érico; TEIXEIRA, Clarissa Stefani; ANDRADE, Rubian D.; DA SILVA-LOPES, Adair. O trabalho docente e a qualidade de vida dos professores na educação básica. Rev. Salud Pública, Bogotá, v. 16, n. 2, p. 221-231, mar. 2014.

FRASER, Márcia Tourinho; GONDIM, Dantas Sônia Maria Guedes. Da fala do outro ao texto negociado: discussões sobre a entrevista na pesquisa qualitativa. Paidéia, v. 14 n. 28, 139-152, 2004.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 5. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1997.

GONÇALVES, Josiane Peres. O perfil profissional e representações de bem-estar docente e gênero em homens que tiveram carreiras bem-sucedidas no magistério. Orientador: Prof. Dr. Juan José Mouriño Mosquera. 2009. 232 f. Tese (Doutorado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, PUC/RS, Porto Alegre, 2009.

GUSDORF, Georges. Professores para quê? Para uma pedagogia da pedagogia. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

LOURO, Guacira Lopes. Mulheres na Sala de Aula. In: PRIORE, Mary Del; PINSK, Carla Bassanezi. (Orgs.). História das mulheres no Brasil. São Paulo: Contexto, 2012, p. 441-481.

MOSQUERA, Juan José Mouriño; STOBÄUS, Claus Dieter. Auto-imagem, auto-estima e auto-realização: qualidade de vida na universidade. Psicologia, Saúde & Doenças, v. 7, n. 1, p. 83-88, 2006.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

VEIGA, Ilma Passos Alencastro. A aventura de formar professores. 2. ed. Campinas: Papirus, 2012. (Coleção Magistério Formação e trabalhão Pedagógico).




DOI: https://doi.org/10.21723/riaee.v15i3.12389



Direitos autorais 2020 Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação

 

Rev. Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1982-5587

DOI Prefix: 10.21723/riaee

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.