Um Estudo sobre as possíveis causas de evasão em curso de Licenciatura em Pedagogia a distância

Stelamary Aparecida Despincieri Laham, Sebastião de Souza Lemes

Resumo


Este estudo teve como objetivo geral de pesquisa investigar quais as possíveis causas que influenciaram a evasão de cursos a distância, pela percepção dos estudantes.  Para isso, foi realizado um estudo exploratório descritivo de abordagem qualitativa com base em estudo de caso acerca dos índices e das causas da evasão no curso da UAB-UFSCAR Universidade Federal de São Carlos, no Polo de Apoio Presencial de Tarumã, um município do interior do Estado de São Paulo.  Os participantes foram os estudantes desistentes, formados e ativos do curso de Licenciatura em Pedagogia UAB-UFSCar, das turmas de 2008, 2010, 2012 e 2013. Os instrumentos de coleta de dados utilizados foram: levantamento de revisão bibliográfica, documentos da Instituição para averiguar os reais índices de evasão, questionários respondidos pelos alunos das turmas em questão. O conteúdo das respostas dos estudantes ao questionário foi base para o levantamento e análise de categorias e subcategorias referentes a desistência na Educação a Distância. Essas categorias e subcategorias foram discutidas tendo em vista o referencial teórico, dando origem as causas exógenas e causas endógenas da evasão ao curso. Sendo assim, as causas exógenas são aquelas com relação a fatores externos à instituição e ao curso em questão, são elas: falta de tempo para o estudo, demanda profissional e familiar, problemas de saúde na família e pessoal. As causas endógenas são aquelas diretamente relacionadas à instituição de ensino ofertante do curso, como: falta de comunicação da tutoria, problemas com material didático, interação e interatividade no ambiente virtual de aprendizagem (sentimento de solidão), curso que não atende o perfil do aluno. Os resultados alcançados podem servir de subsídios às instituições de ensino superior que oferecem essa modalidade, principalmente como indicativo para a formulação de projetos pedagógicos de cursos a distância e que estejam preocupados em diminuir a incidência de evasão.


Palavras-chave


Educação a Distância. Evasão. Evasão na Educação a Distância. Causas de Evasão. Licenciatura em Pedagogia a Distância.

Texto completo:

PDF

Referências


ABBAD, G. & Borges-Andrade, J.E. (2004). Aprendizagem Humana em Organizações e Trabalho. In: Zanelli, Borges-Andrade, Bastos (Orgs) Psicologia: Organizações e Trabalho no Brasil, 237-275. Artmed: Porto Alegre, RS.

ALMEIDA, O. C. S. de. Evasão em Cursos a Distância: validação de instrumento, fatores influenciadores e cronologia da desistência. 2007. 177 f. Dissertação (Mestrado em Administração) – Universidade de Brasília, Brasília - DF 2007.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Editora 70. 2008.

BRASIL. Decreto 5.800. Dispõe sobre o Sistema Universidade Aberto do Brasil. Diário Oficial da União, 08 de junho de 2006.

BELLONI, M.L. Mídia educação e educação a distância na formação de professores. In: MILL, D.; PIMENTEL, N.M., Educação a distância: desafios contemporâneos. 2010. Cap. 16, p.245-266.

Censo EAD.BR – Relatório Analítico da Aprendizagem a Distância no Brasil 2012”, realizado pela Associação Brasileira de Educação a Distância (ABED).

CISLAGHI, Renato. Um Modelo de Sistemas de Gestão do Conhecimento em um Framework para a Promoção da Permanência Discente no Ensino de Graduação. Tese, UFSC, Florianópolis, 2008.

FIUZA, P. J. Adesão e permanência discente na Educação a Distância: Investigação de motivos e análise de preditoressociondemográficos, motivacionais e de personalidade para o desempenho na modalidade. Tese (Doutorado em Psicologia) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2012.

GROSSI,M G R; NUNES, RC. Comparação entre as características e percepções de alunos em curso e dos evadidos de um curso técnico a distância do IF Fluminense. Revista EDaPECI São Cristóvão (SE) v.14. n. 3, p. 470-494 set./dez. 2014. Disponível em www.seer.ufs.br/index.php/edapeci/article/download/2346/pdf. Acesso em 15/10/2015.

LITWIN, E. Educação a Distância: temas para o debate de uma nova agenda educativa. Porto Alegre: Artmed Editora, 2001.

LÜDKE, Menga, ANDRÉ, Marli. Pesquisa em Educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MAIA, M. de C.; MEIRELLES, F. de S. & PELA, S. K. (2009). Análise dos índices de evasão nos cursos superiores a distância no Brasil. In:CONGRESSO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA, 10. Salvador: Associação Brasileira de Educação a Distância (ABED), 2004. Disponível em: . Acesso em 13/02/2013.

MAIA, M., C. MEIRELES, F.S. Evasão nos Cursos a Distância e sua relação com as Tecnologias da Informação e Comunicação. In: ENCONTRO DA ANPAD, 29, 2005, Brasília, DF. Anais… Brasilia, DF: ANPAD, 2005. 1CD-Rom.

MOORE, M. e KEARSLEY. Educação a Distância: uma visão integrada. São Paulo: Cengage Learning, 2008.

MOURA-WALTER, A. Variáveis Preditoras de Evasão em Cursos a Distância. Dissertações de Mestrado, Instituto de Psicologia da Universidade de Brasília, Brasília. 2006.

OBBADI, M. & JURBERG, C. (2005). Educação a distância: algumas reflexões sobre a desistência. Tecnologia Educacional. Ano 33, n. 167/169.

OLIVEIRA, M. M. Como fazer pesquisa qualitativa. Petrópolis, Vozes, 2007.

PACHECO, M. M. Políticas de Educação Profissional: A Evasão no Curso Técnico em Secretariado do Programa E-Tec Brasil no Paraná. 2011. 139 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Tuiuti do Paraná, Curitiba, 2011.

PALLOF. R. M., & Pratt, K. (2004). O aluno virtual: um guia para trabalhar com alunos online. Porto Alegre: Artmed.

PRETI, O. (Org.) Educação a Distância: sobre discursos e práticas. Brasília: Líber Livros, 2005,

REZER, E. Educação a Distância: Expansão Nacional, Presença no Estado de Mato Grosso E Formação e Professores. V Colóquio Internacional de Políticas e Práticas Curriculares, UFMT, 2009.

ROSSETTI, G.; ALVES, M.L.N. O Tutor em Foco: Diferenças entre O Virtual E O Presencial. UFSCar, 2007.

SANTOS, E.M. dos et al. (2008). Evasão na educação a distância: identificando causas e propondo estratégias de prevenção. Disponível em: . Acesso em 2/02/2013.

SOUZA, C. A.; SPANHOL, L. F. J.; LIMAS, J. C. O.; CASSOL, M. P. Tutoria na Educação a Distância, 2004. Disponível em http://abed.org.br/congresso2004/por/htm/088-TC-C2.htm. Acesso em 25/10/2015.

UMEKAWA & ZERBINI. Evasão e persistência em ações educacionais a distância: análise do perfil discente. Rev. Psicologia. Organ. Trab., abr-jun 2015, vol. 15 num 2, pp. 188-200.

VARGAS, M.R.M; LIMA, S.M.V. Barreiras a implantação de Programas de Educação e Treinamento à Distância. Salvador, 2004. Disponível em: http://www.abed.org.br/congresso2004/por/htm/092-TC-C3.htm. Acesso em 18/02/2013.

VILARINHO, L. R. Goulart & PARO, E. F. Ensino Superior E Educação A Distância: Uma Proposta Para Diminuir A Evasão De Alunos. 2008. Disponível em www.abed.org.br/congresso2008/tc/511200845607PM.pdf. Acesso em 13/02/2013.




DOI: https://doi.org/10.22633/rpge.v20.n3.9753



Rev. on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1519-9029

DOI prefix: 10.22633/rpge

Licença Creative Commons 

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.