Ser professor ou estar professor: as implicações no contexto de sala de aula

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22633/rpge.v25i1.14937

Palavras-chave:

Educação, Professor, Aluno, Aprendizagem, Pedagogia

Resumo

Em um contexto em que se promove o uso de metodologias ativas, estratégias e planejamentos de aulas aliados à tecnologia, entre outras muitas ferramentas tão significativas para disponibilizar um ambiente propício ao desenvolvimento de um aprendizado eficaz, questiona-se por que nossos alunos não alcançam os objetivos propostos. O que é necessário de fato para que o processo de ensino/aprendizagem seja eficaz e torne o aluno um indivíduo autônomo? O problema talvez não esteja somente no aluno. Será que o professor, mesmo tendo capacitação profissional para atuar na sua área, teve as orientações e a formação acadêmica necessária para trazer aos alunos métodos e ferramentas para as mais amplas possibilidades de melhorarem seu universo do conhecimento? Nesse contexto, esse trabalho tem o objetivo de trazer uma reflexão sobre a formação docente de maneira a atender a demanda no contexto atual da educação, somado ao ato pedagógico que incentive no professor a autonomia que muitas vezes ele deve instigar em seus alunos, mas devido à falta de motivação e atuação do “ser professor” não consegue desenvolver as habilidades que a educação exige.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Joice Ferreira Nicola, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Araraquara – SP

Aluna Especial no Programa de Pós-Graduação em Educação Escolar (FCL). Professora de Língua Inglesa do ensino médio e técnico da ETEC. Pedagoga. Especialista em metodologia do ensino da língua inglesa.

Simone Martins de Caires Palaro, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Araraquara – SP

Aluna Especial no Programa de Pós-Graduação em Educação Escolar (FCL). Professora auxiliar na rede Estadual do Estado de São Paulo. Especialista em educação especial e psicopedagogia. Docente convidada Unisagrado.

Sebastião de Souza Lemes, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Araraquara – SP

Professor no Departamento de Antropologia, Política e Filosofia. Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Educação Escolar. Doutorado em Psicologia (USP).

Referências

DARSIE, M. M. P.; CARVALHO, A. M. P. O início da formação do professor reflexivo. Revista da Faculdade de Educação, São Paulo, v. 22, n. 2, p. 90-108, 1996.

DIESEL, A. et al. Os princípios das metodologias ativas de ensino: uma abordagem teórica. Revista Thema, Pelotas, v. 14, n. 1, p. 268-288, 2017.

FARIA, E. T. O professor e as novas tecnologias. Ser professor, v. 4, p. 57-72, 2004.

FERRAZ, A. P. C. M.; BELHOT, R. V. Taxonomia de Bloom: revisão teórica e apresentação das adequações do instrumento para definição de objetivos instrucionais. Gest. Prod., São Carlos, v. 17, n. 2, p. 421-431, 2010. DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-530X2010000200015

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2002. 92 p.

KRATHWOHL, D. R. A revision of Bloom’s taxonomy: an overview. Theory in Practice, v. 41, n. 4, p. 212-218, 2002.

MORÁN, J. Mudando a educação com metodologias ativas. Coleção mídias contemporâneas, convergências midiáticas, educação e cidadania: aproximações jovens, v. 2, n. 1, p. 15-33, 2015.

MORIN, E. Os sete saberes necessários à educação do futuro. 3. ed. São Paulo: Cortez, Brasília, 2001.

PEREZ GÓMEZ, A. O pensamento prático do professor: a formação do professor como prático reflexivo. In: NÓVOA. A. (Coord.). Os professores e sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1992. p. 93-114.

RAMPINELI, E. F. Ser ou estar professor? A construção da ética no contexto escolar. Revista Linhas, Florianópolis, v. 2, n. 1, 2001.

ROCHA, T. L. Da racionalidade técnica ao professor reflexivo. Cadernos da FUCAMP, v. 13, n. 18, p. 119-127, 2014. Disponível em: http://www.fucamp.edu.br/editora/index.php/cadernos/article/download/407/306. Acesso em: 15 mar. 2021.

Publicado

02/01/2021

Como Citar

NICOLA, J. F.; PALARO, S. M. de C.; LEMES, S. de S. Ser professor ou estar professor: as implicações no contexto de sala de aula. Revista on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, v. 25, n. 1, p. 344–366, 2021. DOI: 10.22633/rpge.v25i1.14937. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/14937. Acesso em: 15 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 > >>