Inclusão escolar na perspectiva do professor especializado

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v17i4.17454

Palavras-chave:

Educação especial, Inclusão, Professor especializado, Atendimento educacional especializado

Resumo

O estudo objetivou analisar o trabalho desenvolvido pelo professor especializado em um contexto de transição do papel da Educação Especial de um modelo substitutivo para um modelo complementar. O desenvolvimento da pesquisa se deu numa abordagem qualitativa do tipo descritiva. Para a coleta de dados, utilizamos a técnica de grupo focal. Os dados mostraram resistência dos participantes em aceitar o direito do aluno PAEE de estudar em ambientes comuns e, também, que a atuação da Educação Especial, na maioria das vezes, continua sendo substitutiva e compensativa, mantendo a exclusão. Os dados indicaram que a história da Educação Especial como um serviço paralelo ainda está muito arraigada no ambiente escolar, sendo legitimada tanto por professores especializados, quanto por professores de classes comuns e gestores educacionais. Em síntese, ainda não contamos no Brasil uma escola para os alunos PAEE que supere as fragilidades da escola comum e da instituição especializada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Relma Urel Carbone Carneiro, Universidade Estadual Paulista (UNESP/FCLAr), Araraquara – SP – Brasil

Docente do Departamento de Psicologia da Educação e do Programa de Pós-Graduação em Educação Escolar. Doutorado em Educação Especial (UFSCAR).

Cristina Cinto Araujo Pedroso, Universidade de São Paulo (USP/FFCLRP), Ribeirão Preto – SP – Brasil

Docente do Departamento de Educação, Informação e Comunicação e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras. Doutorado em Educação Escolar (UNESP).

Denise Cristina França dos Santos, Universidade Estadual Paulista (UNESP/FCLAr), Araraquara – SP – Brasil

Doutoranda em Educação.

Referências

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2006.

BRASIL. Política Nacional de Educação Especial na perspectiva da educação inclusiva. Brasília, DF: Ministério da Educação; Secretaria de Educação Especial, 2008.

DAL-FORNO, J. P. Representações docentes: O encontro com o outro. In: ALMEIDA, M. A.; MENDES, E. G.; HAYASHI, M. C. P. I. Temas em Educação Especial: Múltiplos olhares. Araraquara, SP: Junqueira & Marin; Brasília, DF: CAPES – PROESP, 2008.

FREITAS, H. M. R.; CUNHA JUNIOR, M. V. M.; MOSCAROLA, J. Aplicação de sistemas de software para auxílio na análise de conteúdo. Revista de Administração da USP, São Paulo, v. 32, n. 3, p. 97-109, 1997. Disponível em: http://gianti.ea.ufrgs.br/files/artigos/1997/1997_052_RAUSP.pdf. Acesso em: 10 mar. 2022.

MEIER, M. J.; KUDLOWIEZ, S. Grupo focal: Uma experiência singular. Texto & Contexto Enf., Florianópolis, v. 12, n. 3, p. 394-399, jul./set. 2003. Disponível em: https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/lil-417281. Acesso em: 15 mar. 2021.

MENDES, E. G. A Política de Educação Inclusiva e o Futuro das Instituições Especializadas no Brasil. Archivos Analíticos de Políticas Educativas/Education Policy Analysis Archives, v. 27, p. 1-27, 2019. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/331841698. Acesso em: 10 mar. 2021.

MORGAN, D. L.; KREUGER, R. A. When to use focus groups and why. In: MORGAN D. L. (ed.). Successful Focus Groups. London: Sage, 1993.

VIEIRA, C. M.; OMOTE, S. Atitudes sociais de professores frente à inclusão: Formação e mudança. Rev. Bras. Ed. Esp., Bauru, v. 27, e0254, p. 743-758, 2021. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbee/a/sFZmbYyQZGqzTqBhsDL6NBq/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 10 mar. 2021.

PACHECO, J. Caminhos para a inclusão: Um guia para o aprimoramento da equipe escolar. Porto Alegre: Artmed, 2007.

POWELL, R. A.; SINGLE, H. M. Focus groups. International Journal of Quality in Health Care, v. 8, n. 5, p. 499-504, out. 1996. Disponível em: https://www.infona.pl/resource/bwmeta1.element.elsevier-5159d0a1-c54c-3aee-87b5-5cd401095d59. Acesso em: 10 jan. 2022.

RODRIGUES, D. Equidade e Educação Inclusiva. Porto: Profedições, 2013.

ZERBATO, A. P. Desenho Universal Para Aprendizagem na Perspectiva da Inclusão Escolar: Potencialidades e Limites de uma Formação Colaborativa. 2018. Tese (Doutorado em Educação Especial) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2018. Disponível em: https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/9896. Acesso em: 20 mar. 2021.

Publicado

30/12/2022

Como Citar

CARNEIRO, R. U. C.; PEDROSO, C. C. A.; SANTOS, D. C. F. dos. Inclusão escolar na perspectiva do professor especializado. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 17, n. 4, p. 2880–2897, 2022. DOI: 10.21723/riaee.v17i4.17454. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/17454. Acesso em: 5 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.